quinta-feira, 31 de outubro de 2013

A sociedade dos "puros" e o vandalismo. (em defesa dos "vândalos").




Agora, desde os governantes até as pessoas comuns, estão encontrando uma saída para suas incompetências: chama-se vandalismo.

Um policial militar mata um jovem trabalhador com um tiro no Jaçanã, e não acontece nada.

O policial dá uma versão conveniente, de que a arma disparou acidentalmente, os colegas corroboram com a explicação, contando mentiras como verdades, e tudo fica como está.

Estamos enfastiados de assistir cenas como esta.

Acontece que a água já está entrando nas narinas do povo brasileiro.

Não fossem os jovens do bairro saírem às ruas quebrando tudo o que viam pela frente, e  até o Governador Xuxu teria enfiado a viola no saco, e deixava pra lá, como já fez outras vezes, fingindo  não ser com ele.

Quando caminhões começaram a ser queimados, o Governo Estadual assistindo a cena, não adentrou na rodovia Fernão Dias para colocar ordem, porque a rodovia era do Governo Federal.

Queriam transferir a responsabilidade pelo quebra quebra.

Depois, com tudo já destruído, completaram a versão afirmando que os traficantes estavam se aproveitando da situação para  roubar, etc.

Certamente esta postura de platéia diante do circo pegando fogo, "não foi uma posição de vândalo", mas uma "arte política para desgastar Dilma", eles (o Governador como autoridade máxima) que mataram o jovem.

Vejo pessoas "puras" diariamente atropelando transeuntes e se evadindo, médicos desprezando seus pacientes, cometendo erros fatais, profissionais de saúde aplicando alimentação nas veias de pacientes, atendentes de caixa que só olham o dinheiro, pessoas que não se olham, nem se interessam umas pelas outras. Os exemplos, neste caso, são intermináveis.

Diverte-me os arrumadinhos, os bem vestidos, os "certos".

Podem fazer suas transgressões aqui e ali, mas nunca perderão a (im)postura de cidadãos corretos.

- Sociedade podre é o que é!

- Sociedade exploradora do homem, que não liberta o homem., sociedade do cada um para si!

Estes dias um vereador de uma cidade do Rio de Janeiro declarou do púlpito da Câmara, que "mendigo deveria servir de ração para animais". Ouvi comentários, posteriores,  que "faria mal aos animais". Depois ele desculpou-se. Tarde demais, já sabemos do seu coração.

Este vereador apenas exteriorizou um pensamento que grassa por estes rincões do país, mas que não é afirmado abertamente.

O Brasil está repleto de um fascismo latente.

Da Justiça brasileira, nem se fale. Uma piada!

Afirmo alto, para que todos saibam, que a violência é e sempre será um sentimento puro, incompreensível, mas puro, diante das grandes mordaças, dos freios colocados na boca da gente pobre, que vive nas periferias.

Sociedade podre.

Seu fedor se espalha por todos os ambientes.

Não adianta a tintura colocada na superfície, nem  a crítica aos monumentos pichados, eles que não representam os esculpidos (aliás, os monumentos de hoje são os Shopping Centers e os bancos), porque é fétido o odor que sai desta casta opressora.

Funcionários proibidos de conversar, de sentarem-se (perguntem aos comerciários); os sorrisos obrigatórios, as roupas, hábitos, formas de pensamentos, modos de agir.

Esta sociedade está literalmente enlatada. A liberdade está interiorizada, internetizada, e só.

"É proibido proibir" diz o nome de uma canção de Caetano Veloso, ele que tem proibido a divulgação de sua biografia.

Assisti no Roda Viva esta última segunda, entrevista com o biógrafo de Roberto Carlos, o tal que teve o livro apreendido.

Quando soube o que o cantor fez na justiça contra o historiador, concluí como"é grande o amor do Roberto" pela sua própria história.

Este fim de tacho de cantores que despreza sua historiografia é composta de cidadãos "puros" que não deixam vazar as outras imagens de si mesmos, as imagens reais. Nesta hora ficam uns black blocs.

O fato é que o Brasil precisa recuperar a sua identidade perdida neste emaranhado internacional.

Já não comemos como antes, não bebemos como antes, não dançamos como antes, não cantamos como antes, não rezamos como antes, não conversamos como antes.

Não sabemos mais o que somos, este amálgama de nada, que se expressa como um americano.

Quero um papagaio, uma onda do mar, um grito, vários gritos!

Perder a voz, ficar com a garganta arranhada.

Não há uma instituição que permaneça em pé, incólume.

Depois caem em cima dos Back Bloc"s.

Os Black bloc's são o excremento desta sociedade, nada mais.




quarta-feira, 30 de outubro de 2013

A OUTRA


Amamos sempre no que temos
O que não temos quando amamos.
O barco pára, largo os remos
E, um a outro,as mãos nos damos.
A quem dou as mãos?
À Outra.
Teus beijos são de mel de boca,
São os que sempre pensei dar,
E agora a minha boca toca
A boca que eu sonhei beijar.
De quem é a boca?
Da Outra.
O remos já caíram na água,
O barco faz o que a água quer.
Meus braços vingam minha mágoa
No abraço quie enfim podem ter.
Quem abraço?
A Outra.
Bem sei, és bela, és quem desejei..
Não deixe a vida que eu deseje
Mais que o que pode ser teu beijo
E poder ser eu que te beije.
Beijo, e em quem penso?
Na Outra.
Os remos vão perdidos já,
O barco vai e não sei para onde.
Que fresco o teu sorriso está,
Ah, meu amor, e o que ele esconde!
Que é do sorriso
Da Outra?
Ah, talvez, mortos ambos nós,
Num outro rio sem lugar
Em outro barco outra vez sós
Possamos nós recomeçar
Que talvez sejas
A Outra.
Mas não, nem onde essa paisagem
É sob eterna luz eterna
Te acharei mais que alguém na viagem
Que amei com ansiedade terna
Por ser parecida
Com a Outra.
Ah, por ora, idos remos e rumo,
Dá-me as mãos, a boca, o teu ser.
E façamos desta hora um resumo
Do que não poderemos ter.
Nesta hora, a única
Sê a Outra.
Fernando Pessoa

O que não se vê.

Era apenas uma saída de carro, com a esposa, para trocar presentes de Natal comprados antecipadamente.

 No meio do caminho, como dizia Drummond, tinha uma pedra.

O telefone tocou e, informados de que havia acontecido um acidente com um irmão, mantivemos o trajeto, mas já com outros objetivos.

Fico pensando como o destino nos colhe em meio ao caminho para outros serviços, diferentes dos programados.

E vem a impressão de que uma grande mão encaminha tudo de maneira escondida, como se criasse uma teia de ambientes favoráveis para a nossa ação "espontânea".

"Servir é melhor que ser servido" - esta frase de Jesus que não consta dos evangelhos, mas é citada numa carta paulina, serve bem para percebermos o quanto é agradável ajudar.

Depois vêem as recompensas na forma de oportunidades que surgem na vida, e que poucas vezes fazemos uma relação entre ambas as situações.

Bem, este é um texto para os místicos.

Neste caso, os materialistas me desculpem pelo atrevimento com o obscuro, o que não se vê.

Incidente religioso em angola mostra intolerância fundamentalista

Angola: Profanada a Imagem de Nossa Senhora de Muxima
Recebida a notícia centenas de fiéis se reuniram diante do santuário para protestar
29 de Outubro de 2013 (Zenit.org) - “Uma ação perpetrada de maneira fria e covarde”. Assim Dom Joaquim Ferreira Lopes, Bispo de Viana, descreve a profanação do Santuário de Muxima, em Angola. Segundo Radio Ecclesia (emissora da Igreja angolana), no domingo 27 de outubro, 6 pessoas não identificadas vandalizaram e destruíram algumas imagens de Nossa Senhora veneradas no Santuário. “Felizmente, a imagem principal de Nossa Senhora de Muxima (uma imagem, ndr.) sofreu danos limitados, mas outras imagens são irrecuperáveis porque foram barbaramente destruídas”, afirmou o Bispo. O grave ato de vandalismo foi cometido no dia do encerramento do Ano da Fé em Angola. 
Recebida a notícia centenas de fiéis se reuniram diante do santuário para protestar. Dom Lopes convidou todos a manter a calma, mas sublinhou que além de alguns danos materiais, as autoridades devem considerar “os danos menos visíveis, ou seja, os danos morais que afetam o coração das pessoas que provocam raiva na população, que se sente privada dos símbolos aos quais é muito devota”. As autoridades anunciaram uma investigação e o recurso a especialistas para consertar a imagem da Virgem. 
Segundo notícias da imprensa, a polícia parou algumas pessoas pertencentes a confissão evangélica chamada “Igreja profética da Arca de Belém” e está avaliando a sua posição em relação ao ato de profanação. 
Os bispos angolanos expressaram em várias ocasiões suas preocupações pelo aumento das seitas e pelo forte crescimento de imigrantes de religião muçulmana no país (veja Fides 18/11/2011). Uma preocupação manifestada no final de sua última Assembleia Plenária por Dom Manuel Imbamba Arcebispo de Saurimo e porta-voz da CEAST, que numa entrevista a Rádio Ecclesia afirmou que a Igreja Católica não pode impedir a entrada de algumas religiões no país, mas sublinhou que não se pode ignorar “as graves consequências” por causa da chegada de formas religiosas marcadas “pela intolerância, fundamentalismo, violência e perversão de sua própria cultura”. 
Recordando que existem países que financiam a expansão do Islã para fins políticos, Dom Imbamba concluiu: "Devemos ficar atentos contra essas situações, olhando para as situações de violência na Nigéria, República Centro-Africana e Oriente Médio”.
(Fonte: Agência Fides)

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Governador Geraldo Alckmin, de São Paulo, tem política de segurança pública desastrosa e violenta




O que a cidade de São Paulo assistiu ontem, 28/10/2013 pela TV, foi um espetáculo do descontrole a que a nação está chegando.

Primeiro um militar mata gratuitamente um jovem trabalhador e inocente.

E não adianta nada o Governador vir a público dizer que o militar está preso, pois ele, governador, é o responsável direto por isto.

E aqui deve-se colocar a questão das velhas estruturas da ditadura militar que teimam em persistir até os dias de hoje.

E levantamos uma questão: Teria sido uma provocação, para o povo sublevar-se?

A comoção gerada pela morte do jovem irradiou-se por todo o bairro, fazendo com que muitos amigos, jovens, traficantes (nestas horas eles estão presentes), partissem para o quebra-quebra, com incêndios de ônibus e caminhões.

A Rodovia Fernão Dias foi tomada.

Pudemos assistir em tempo real um grupo se apossando de um caminhão e o dirigindo.

Os incêndios foram televisionados igualmente.

Estranha a ausência do policiamento e do Corpo de Bombeiros, e sua aparição tardia.

É de se supor se não estariam interessados em ver o circo pegar fogo, para depois aparecerem como paladinos da moralidade, ou, no mínimo, instigadores de golpe de estado.

O Governador do Estado, Geraldo Alckmin é o responsável direto por este acontecimento: não fez um combate sistemático ao tráfico, cono está sendo feito no Rio de Janeiro, estando as estruturas do crime em São Paulo inteiras.

Os bairros estão sob o controle do tráfico.

Estou cansado de ver isto por aqui.

Muito pouco treinamento do policiamento militar, também margem  a constantes atos de abuso de poder.

Não gosto de admitir, mas o mal exemplo dos black blocs está se irradiando para a juventude sem perspectiva, que vê um Brasil crescer à sua frente sem poder participar dele.

Temo pelo retrocesso político no país.

Um governo progressista, em seu terceiro mandato, malgrado o esforço por inserir com algum sucesso, novos contingentes de famílias pobres a um patamar social mais elevado, ainda assim não atende a demanda geral que clama por saúde, moradia, educação.

E a velocidade do clamor por mudanças é muito maior do que aquela que o Estado, como um todo,  está a oferecer.

O risco de um golpe militar vai aumentando, conforme a situação se expande por bairros até então tidos com não tão perigosos, e se degenera em quebra-quebra.

Não creio que as Forças Armadas assistirão esta situação continuar até sair do controle.

A sociedade brasileira dos século XXI é potencialmente muito mais carregada de expectativas de anseios por uma vida melhor, com uma impaciência notável.

Caso o governo federal não assumir o controle disto, e implementar com rapidez as mudanças que a nação clama, poderemos retroceder nas poucas conquistas  obtidas.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Para comprar MTV, Igreja Mundial pede para fiéis fingirem doença

Aonde chegou a criatividade desta gente. 

Falso testemunho?



FOTO EDUARDO PINTO/IGREJA MUNDIAL
Valdemiro Santiago toma o depoimento de fiíes em culto na igreja da avenida
João Dias no último dia 


Por DANIEL CASTRO, em 28/10/2013 · Atualizado às 06h00

Em carta encontrada em uma sala do templo da Avenida João Dias, 
na zona sul de São Paulo, a Igreja Mundial do Poder de Deus pede 
a fiéis para se "passarem por enfermos curados, ex-drogados e aleijados" 
e assim "conseguir convencer mais pessoas a contribuírem financeiramente
 para a aquisição do canal 32".
O canal 32 é uma concessão do Grupo Abril, usada até 30 de setembro
 para transmitir a programação da MTV Brasil em sinal aberto. Estaria à
 venda por R$ 500 milhões.
A carta, reproduzida abaixo, chama a atenção pelo "pragmatismo".
 Os interessados não precisam comprovar que tiveram alguma doença.
Necessitam apenas ter disponibilidade para viajar "para dar seu testemunho
 de consagração e vitória". Recompensa-se o esforço com "uma ajuda de custo".
A carta tem um espaço em branco para o preenchimento do nome
do bispo local, mas diz que se trata de um "pedido feito diretamente
 pelo apóstolo Valdemiro Santiago a todos os seus fiéis". Pede-se a
 destruição da carta após sua leitura. 
A carta obtida pelo Notícias da TV é uma impressão simples, embora
 colorida. Havia algumas dezenas delas na sala em que foram encontradas. 
A Igreja Mundial do Poder de Deus passa por grave crise financeira. 
Devendo entre R$ 13 milhões e R$ 21 milhões para o Grupo Bandeirantes, 
perdeu a locação de 23 horas diárias da Rede 21 e de três horas diárias 
nas madrugadas da Band. O espaço será ocupado justamente por sua 
principal rival, a Igreja Universal do Reino de Deus, de Edir Macedo.
Ontem, em culto transmitido pela TV, o apóstolo Santiago praticamente
 se despediu da Rede 21 e convocou seus fiéis da Grande São Paulo 
a segui-lo pelo canal 25, de cobertura muito fraca.
A igreja vem fazendo intensa campanha para viabilizar seu projeto
 de televisão. Pede "ofertas de R$ 100,00" durante a transmissão
de cultos. 
Notícias da TV tentou durante duas semanas uma entrevista com
 alguma autoridade da Igreja Mundial. Na semana passada, a igreja
 se limitou a informar que o bispo Jorge Pinheiro, segundo na hierarquia
 interna, declarou que "a informação não procede".
Veja a carta:

Diminuiu a diferença.

Um dia destes...



Precisamos nos encontrar 
um dia deste por aí,
no meio
das avenidas congestionadas
metrôs lotados.

Deve haver uma mesa vaga
em alguma praça de alimentação
de shopping, 
um café de máquina
por perto
no meio 
deste emaranhado
de ocupações falsificadas.

Porque
é preciso fluir
uma contenção 
de desejos,
sonhos semidespertos
aguardando aval
para nunca 
acontecer.

Necessito dizer
da velhice e da jovialidade
da pureza e da infâmia,
dizer o que somos
e o que não somos.

Deve haver
um táxi vazio 
no meio desta chuva
neste turbilhão de gente 
que se aperta 
resmungando
do aperto.

Dizer que o tempo
não volta.

Retirar
ossos e músculos
amarrotados
do armário,
aguardando
a ordem
do silêncio dos lençóis,
onde Deus é lembrado
no apagar das luzes,
espremido
entre a noite
e o sonho,
sem espaço,
nós, semi-deuses
de nossas incapacidades.

(Poema "Um dia destes" do livro "Gota Serena" de João Paulo Naves Fernandes)

"Conjugo Vobis"

E ali mesmo na praia,
entre um altar forrado de onça
e entre vergonhas assustadas
um jesuíta canário,
chamado Anchieta, e também vindo
dentro do Pássaro Marítimo
celebra o casamento do homem branco
(que viera cavalgando uma onda azul)
com a mulher mais bonita do mundo 
(cabelos verdes, olhos amarelos)

"Conjugo Vobis"

E ali mesmo, na praia,
sob o escândalo dos pássaros palradores
Deus diz: "Faz-se a Noite."
E cada vez que os dois se beijam
na manhã clara, faz-se a Noite.

E ali mesmo, na praia,
Logo, não há ângulo onde não se açoite
um nauta português com sua bugra
fechando os olhos e fazendo a Noite.

(poema "Conjugo Vobis" do livro "Martim Cererê" de Cassiano Ricardo)

28/10/2013 manhã relativamente fria e com ventos

Quando morava no Maranhão e trabalhava na Alumar, no horário do almoço encontrava, vez por outra, com um peão "da porra", um cidadão simples e de poucas palavras, daquele tipo que desperta somente quando vem um assunto de seu interesse.

Não me lembro como se chamava, não era uma amizade marcante, nem sou uma pessoa de boa memória para nomes.

O dado interessante é que ele vazia predições sobre a vida das pessoas como um todo, com base nas imagens que tirava do céu.

Bastava olhar o céu e começava a dizer isto ou aquilo.

Isto tudo,  sem contar que usava um óculos escuro, de espessura considerável, o que dava impressão de que ele não enxergava direito.

Pegando carona neste personagem que a memória faz acompanhar-me até hoje, posso dizer sobre o tempo de hoje:

Hoje as pessoas estarão mais às pressas em seus afazeres, entre preocupações com seus problemas com dívidas, e expectativas de novos negócios.

Poucos amores serão declarados, pela falta de tempo, pelo excesso no fim de semana.

As alegrias serão poucas também.

Os falsos não conseguirão disfarçar sua falsidade, e os ladrões deixarão para amanhã o roubo.

O motor da vida estará na ignição, e o sentido das coisas sequer será meditado.

Assim será o dia de hoje

domingo, 27 de outubro de 2013

[Denúncia] SOS Cultura: A cultura pede socorro!



Precisamos defender nosso patrimônio cultural

Maldigo tudo!

Esperam que eu traga a esperança?
Não!
Eu não tenho esta esperança
que vocês esperam!

A fé?
Os descaminhos
ao longo
do trajeto
desfiaram
a fé.

Não esperem
de mim
fé.

Esperem o que eu diga
independentemente da fé.

Que eu dê exemplo de amor?
Que amor?
Porque aqui está
uma pessoa fria
e desbotada
com sorrisos
escondidos
e declarações
sob lençóis.

Não falo do amor
publicamente
porque poucos
serão capazes
de entender
 uma minoria
praticante.

Perseverar é uma meta pública!
Os empresários adoram
quando se chega
a este tema.

A realidade
porém,
ao primeiro sinal,
saem destruindo
todo estímulo
determinação
dos pequenos.

Falsos!

Desejar a paz?
Ora, paremos com esta
mentira!

Se existe espécie
mais sedenta
de sangue,
mais propícia
ao assassinato
ao crime!
É a espécie
humana,
devoradora
de tudo
o que passa
à sua frente.


Praticar a verdade?
Talvez a mais triste
característica
humana.

A de justificar-se
explicar-se
remendar-se,
enquanto
mente e mente.
mantendo a 
santidade.

Se me deixo
levar
por estas
constatações
inúteis,
porque
o homem
não mudará,
ponho um fim
antecipado
à vida.

Não farei
este favor
sem sentido.

Continuarei
declamando
meus versos
denúncia!

Proclamarei
por sobre
os tetos
a possibilidade
concreta
da vida
prevalecer.

Direi
aos que sofrem
cantem!

Aos que choram
aguardem
o grande trovão!

Aos esquecidos,
-Vocês são principais.

E correremos juntos
por este mundo
atônitos
desta loucura.




sábado, 26 de outubro de 2013

Dilma, não é Xenofobia não. .

Dilma, pára de vender patrimônio público.

Quem lhe deu voto para que você vender 10% do Banco do Brasil, tornando-o agora com 30% de participação estrangeira?

Já não bastam os portos e os aeroportos?Já não basta Libra?

Defender os interesses nacionais não é xenofobia não, companheira, é patriotismo!


sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Uma árvore sem Natal




Não me refiro especificamente a respeito do nascimento de Jesus Cristo, o nosso Salvador, mas serve bem como exemplo: como é difícil deixarmos tudo o que fazemos, para ir em busca daquilo que nos é essencial.

O que, via de regra, vale, o que nos segura, nos move, são fatores acessórios, superficiais, que neste trajeto de vida, acabam assumindo importância capital.

É como a árvore de Natal que é armada em outubro.

Ela tem um profundo significado de descoberta do principal, mas não há o espírito que a torna mensageira.

Torna-se tão somente uma árvore comum, como tantas que vemos diariamente.

Não será também assim a vida, o principal nos acompanhando sorrateiramente, desprestigiado, enquanto fazemos todos os tipos de buscas inúteis?

Colocamos a culpa no Pato (do Corinthians), na Dilma, nos políticos, pastores, padres, a penca é grande.

Não nos cansamos de denunciá-los (pelas nossas fraquezas nunca admitidas).

Somos os julgadores deste mundo.

Ah, como os intelectuais são verdadeiros deuses a contemplar o mundo por cima de suas cátedras.

Como há distâncias intransponíveis entre a fé e a atitude.

Só Cristo mesmo.

Somos os tais.

Quando monto a árvore de Natal, ainda em outubro, onde a vizinhança, amigos, inimigos, todos, estão envolvidos com suas inutilidades, tenho a sensação de um vazio imenso.

Terá de ser devagar, para não ferir a ponto de por tudo por terra.

Quem sabe se as lampadinhas, depois de armadas tenham um significado de despertar.

Despertarão?

Os enfeites são os mais perigosos, sempre a nos convidar a um natal pictórico, coreográfico, despistando o seu sentido.
Os presentes representarão tudo o que não fizemos durante o ano, e servirão como uma imensa desculpa pela falha. Tudo bem, é cristão.

Preciso preencher em mim esta árvore nua hoje, e tentar ir pondo nela os adereços.

Será que ficará pronta?

Tenho dúvidas

O fanatismo cego de alguns torcedores idolátricos

Creio que Alexandre Pato foi realmente displicente ao cobrar o pênalti com uma "cavadinha"  .

Logo em cima do Dida.

 Isto foi o suficiente para ser crucificado e responsabilizado pela derrota.

Não vi nenhum jogador do Coringão vir em sua defesa.

Será por causa do salário que ele ganha?

Como é triste algumas circunstâncias da vida.

Um acontecimento transformar toda uma sequência que, se não era boa, também não era ruim.

Depois as áreas de RH fazem programas de avaliação de desempenho, etc.

Na realidade, todos sabemos que o chefe é quem manda embora e ponto final.

 Somos um mundo de muitos pequenos e uma elite de grandes.

Quero fazer meu protesto a isto.

Infelizmente o Pato não deve nem voltar mais a jogar pelo Corinthians.

É deste jeito.

Disa 24/10, quando uma carreta tombada paralisou uma zona de SP

Ontem, dia 24 foi o caos para os moradores da zona sul de Sampa. apenas uma carreta tombada na marginal Pinheiros foi suficiente para para todo o trânsito da zona Sul. Pudera, uma cidade com aproximadamente 1000 emplacamentos de veículos por dia, está prestes a ter um congestionamento gigante, capaz de ser resolvido apenas em dias. Não estou exagerando, a confusão é tanta, que não está longe o dia em que a cidade parará e não conseguirá desfazer o encalacrado congestionamento. Este blogueiro fioi u dos atingidos, razão pela qual ficou praticamente ausente, ontem.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

República Centro-Africana impede o retorno de crianças-soldados ugandesas

Reitor do seminário sacerdotal nacional de Alokolum em declarações à Fundação AIS
24 de Outubro de 2013 (Zenit.org) - Após o golpe de estado na República Centro-Africana, a 24 de Março, tornou-se “mais difícil para as crianças-soldado ugandesas” - raptadas para ingressarem nas fileiras de grupos rebeldes que actuam naquele país, como o Exército de Libertação do Senhor (LRA) – “regressarem à sua terra natal”.
A denúncia é de Monsenhor Cosmas Alule, reitor do seminário sacerdotal nacional de Alokolum, no norte de Uganda, em declarações à Fundação AIS.
O problema é que os rebeldes Séléka, que chegaram ao poder na República Centro-Africana depois do golpe de estado, têm “muita simpatia para com o líder do LRA, Joseph Kony”, e expulsaram as tropas do Uganda estacionadas nesse país.
Desde então, tornou-se mais difícil a fuga das crianças-soldado, que normalmente aproveitavam a passagem de colunas de soldados ugandeses para se libertarem da escravidão imposta pelo LRA.
Atualmente, a situação no Uganda melhorou muito, reconhece o reitor, “e as pessoas já não têm medo”, como nos tempos da guerra civil, mas o LRA continua “muito activo, especialmente na República Centro-Africana e no Sudão”, explica Monsenhor Cosmas, recordando os anos em que a região onde se situa o seminário foi “duramente afectada” pelos combates.
Durante esse período, especialmente entre os anos de 1988 e 2008, era prática corrente, por parte de grupos armados, o rapto de crianças para o ingresso nas suas fileiras.
Estimativas das Nações Unidas apontam para cerca de 30 mil crianças raptadas essencialmente pelo LRA só no norte do Uganda durante o conflito.
Os rapazes raptados eram convertidos em soldados e as raparigas em escravas sexuais.
Monsenhor Cosmas Alule recordou à Fundação AIS o ataque ao seminário menor da diocese de Gulu, ocorrido no dia 11 de Maio de 2003, em que 41 seminaristas foram raptados.
Ao fim de uma década, continuam desaparecidos 12 desses jovens, não havendo qualquer informação sobre o seu paradeiro. No entanto, diz o reitor, “ainda há esperança de que algumas destas crianças-soldado possam regressar”.

ENTRE NÓS

Ela me pensa deus;
eu a penso deusa.

Não nos tocamos
em nossa divindade;
apenas sonhamos
caso fôssemos
humanos
o mundo de prazer
que realizaríamos.

No entanto,
esquecidos de nós
da própria carne,
amamos em espírito
e rezamos na cama.

(poema "Entre Nós", do livro "Dito pelo Não Dito").

EVIDENTE

Há um acordo
coletivo
de se manter
silêncio

Todos sabem
o que se passa
no interior
da multidão 
que circula
nas veias
da cidade.

Um acordo
cúmplice,
que ignora
a simples
verdade
estampada
nas faces
das ruas,
declarada.

Desnecessário dizer,
evidente.

Porque
há um acordo
coletivo
não selado
que todos 
sabem,
de se manter
silêncio.

O estômago
ronca,
as mãos
rogam,
os olhos 
umedecem
a boca
fecha.

Desnecessário dizer,
evidente.


(Poema "Evidente", do livro "Gota Serena")

Copa Latinoamerica e Copa do Brasil ocupam corações e mentes brasileiras

A derrota do Corinthians frente ao Grêmio fará a produtividade da Região Sudeste cair significativamente. Por outro lado o tricolor do Morumbi fez sua lição de casa e ganhou de 4X3 do Universidade Católica do Chile. Todos os demais problemas nacionais ficarão para outro dia. Agora o futebol está chamando todos  para se manifestarem. Os corintianos estão feridos com o pênalti medíocre de Alexandre Pato . Mas como sempre vem o dia seguinte, sempre haverá tempo para se consertar o erro. Tite deve estar com a barba de molho. Deve sair co coringão, junto com o sheik que deu uma boa engordada. Vamos ver o que acontece

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Como é que o STF vai mandar os servidores do Senado devolverem por ganharem além do teto de R$ 28.000, se eles mesmos, os Ministros ganham mais também

23/10/2013 - 13h20

No STF, só Rosa Weber não recebe acima do teto de R$ 28 mil

PUBLICIDADE

SEVERINO MOTTA
GABRIELA GUERREIRO
DIMMI AMORA
DE BRASÍLIA

Responsáveis pelo julgamento de uma ação que vai decidir se os servidores do Senado terão que devolver o dinheiro que receberam acima do teto salarial de R$ 28 mil, quase todos os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), com exceção de Rosa Weber, também ganham valores que ultrapassam o limite.
Há previsão legal para os pagamentos. A Constituição permite, por exemplo, que magistrados deem aulas e recebam o chamado abono de permanência. Seu valor é igual ao da parcela que lhes é descontada mensalmente pela previdência. Ele é pago para aqueles que possuem tempo para se aposentar, ou seja, aqueles que já poderiam ter se aposentado mas continuam na ativa.
Levantamento feito com os salários brutos de setembro dos ministros mostra que Cármen Lúcia, por exemplo, recebeu R$ 37,8 mil. Além do salário de R$ 28 mil do STF, ela tem direito ao abono de permanência de R$ 3.000. Como integrante do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) também ganhou R$ 6,7 mil devido à gratificação eleitoral que está prevista numa lei de 1991.
Além de Cármen, os ministros Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, o presidente Joaquim Barbosa, Celso de Mello, Luiz Fux e Teori Zavascki também recebem o chamado abono permanência. Por isso, seus contracheques no STF saltam dos R$ 28 mil brutos para R$ 31 mil.
Entre os ministros, muitos dão aulas em universidades particulares, como é o caso de Marco Aurélio Mello e Dias Toffoli. Outros, como Barbosa, Luís Roberto Barroso, Fux e Lewandowski dão aulas em universidades públicas.
Barbosa, Barroso e Fux são professores da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro). Desde que assumiu o STF o presidente se licenciou da universidade e está sem receber.
Barroso e Fux seguem na ativa. A Uerj (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) se recusou a revelar os valores pagos aos ministros. A Folha apurou que eles ganham cerca de R$ 6 mil ao mês. Lewandowski, professor da USP (Universidade de São Paulo), também recebe R$ 6 mil da universidade.
Danilo Bandeira/Editoria de Arte/Folhapress
RESOLUÇÃO
Ainda há outros dispositivos legais que permitem a ultrapassagem do teto salarial do funcionalismo público. Em 2006 o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) editou uma resolução para o Judiciário que excluiu do cálculo do teto verbas como as de auxílio-moradia, diárias, auxílio-funeral, auxílio pré-escola, bolsas de estudo, entre outras.
A resolução foi recentemente tomada como base pelo Senado para cortar os salários dos servidores que recebem acima do teto e também foi o argumento de defesa de ministros do TCU (Tribunal de Contas da União) que ganham mais de R$ 28 mil por mês.
No TCU, conforme revelou o jornal "O Estado de S. Paulo", quatro ministros acumulam aposentadorias que somadas ao salário acabam fazendo com que os vencimentos ultrapassem o teto.
De acordo com o presidente do TCU, Augusto Nardes, a resolução do CNJ autoriza os pagamentos e só haverá mudança na situação caso o próprio conselho reveja as regras. "Se o CNJ decidir modificar a resolução, nós vamos ter que obedecer e cortar na própria carne", disse.


No STF, a ação dos servidores do Senado que tentam evitar a devolução dos valores recebidos acima do teto nos últimos cinco anos está com o ministro Dias Toffoli. Em outros casos, o tribunal tem rejeitado a devolução dos recursos quando fica provado que o recebimento aconteceu de boa-fé por parte dos servidores.

Marina, a bonitinha: Dois pesos e duas medidas

Na hora que mexe com o seu din din, Marina acha natural o seu marido permanecer num governo petista do Acre. Enquanto isso mete o pau no governo Dilma

Assessores da ex-senadora consideram que a permanência de Fábio Vaz no governo do Acre não é contraditória

Facebook/Reprodução
'Vou pedir demissão não. Pelo menos este ano', respondeu Vaz ao apelo de petista
Em meio às discussões sobre rompimento entre PT e PSB nos governos em que os dois partidos administram juntos, o técnico agrícola Fábio Vaz, marido da ex-senadora Marina Silva, recém filiada ao PSB, se recusa a deixar o cargo de secretário adjunto de Desenvolvimento Florestal, da Indústria, do Comércio e dos Serviços Sustentáveis no governo do petista Tião Viana, no Acre.
“Vou pedir demissão não. Pelo menos este ano”, respondeu Vaz ao apelo do militante petista Tácio de Brito Jr., irmão do presidente estadual do PT acreano, Leonardo Brito.
Tácio, conhecido como Papito, cobrou no Facebook que o marido de Marina, crítico do PT em nível nacional, entregasse o cargo no governo petista. “Com todas essas críticas ao PT quer dizer que você vai pedir demissão do empregão no governo Tião Viana?”, questionou Papito.
Além de negar que vá pedir demissão, Fábio Vaz fez novas críticas ao PT. “Apoio e trabalho pro Tião Viana com muito orgulho. Ainda bem quem manda no governo é ele e não o PT. Quem diria eu estar sendo convidado para sair por você. E você acha que o governo é de um partido só? O Projeto é maior que qualquer partido. Mas entendo sua situação. Fique tranquilo eu vejo o PT do Acre diferente do Nacional. Aqui ainda corre (sic) sonhos”, respondeu o secretário adjunto.
No Facebook, Vaz recebeu apoio importante do chefe de gabinete do senador Jorge Viana, Cacá Araújo, que defendeu a permanência do marido de Marina no cargo.
Fábio Vaz tem atividade política intensa há vários anos e ocupou cargos importantes nas administrações petistas no Acre, como a Secretaria de Governo. Na gestão Viana, é o principal responsável pela agência estadual que cuida da venda dos créditos por emissão de carbono no Acre. Ele deixou o PT junto com Marina, em 2009 mas, ao contrário da mulher, não se filiou a outros partidos.
Ele foi procurado por telefone e email mas não respondeu aos contatos. Na secretaria, uma funcionária informou que Vaz estaria em Brasília.
Assessores de Marina consideram que a permanência de seu marido em um governo petista no momento em que a ex-senadora faz duras críticas ao partido não é contraditória já que ambos tem carreiras políticas sólidas e independentes.

Eleitor brasileiro corre o risco de não poder colocar o cartaz de seu candidato na frente de sua casa. Implosão democrática.

23 DE OUTUBRO DE 2013 - 11H12 

PCdoB critica limitação da propaganda na minirreforma eleitoral 


Os destaques da minirreforma eleitoral, votados na noite desta terça-feira (22), na Câmara, provocou muita polêmica a críticas às propostas aprovadas. A líder do PCdoB na Câmara, deputada Manuela D´Ávila (RS) se posicionou contrária a limitação de propaganda eleitoral em propriedades privadas, com a proibição de placas, bandeiras, cartazes, pinturas e inscrições nesses locais.


Agência Câmara
PCdoB critica limitação da propaganda na minirreforma eleitoral  
 Manuela: “Nós não temos o direito de calar a população brasileira, nunca e nem no período eleitoral”.
A proibição de bonecos em vias públicas causou polêmica entre os deputados. A deputada Luciana Santos (PCdoB-PE) fez críticas a esse ponto da minirreforma, alegando que na cidade dela – Olinda – os bonecos gigantes são parte de todas as comemorações, não apenas do Carnaval, e as eleições são a “festa da democracia”.

Vários partidos defenderam a retirada do dispositivo que limita a propagada em propriedades privadas a adesivos de 50cm x 40cm, mas esse ponto foi mantido. O texto aprovado proíbe placas, bandeiras, cartazes, pinturas e inscrições em casas e outras propriedades privadas. Foi justamente um impasse sobre esse ponto que interrompeu a votação do projeto na semana passada.

O Plenário concluiu a votação do projeto de lei da minirreforma eleitoral que altera normas para a propaganda eleitoral na TV e na internet e simplifica a prestação de contas dos partidos. O texto aprovado é um substitutivo do relator, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), alterado por emendas e destaques. Devido às mudanças, a matéria retorna ao Senado.

Para Manuela D'Ávila, “este Plenário teve a oportunidade de mudar, mesmo dentro dessa minirreforma eleitoral, algumas matérias que poderiam ter mais substância na transformação da política brasileira, como o limite de gasto nas campanhas eleitorais, mas decidiu não enfrentar minimamente temas estruturantes da política do nosso País”.

Votação surreal

Para ela, que conduziu a bancada do PCdoB na votação contrária à matéria, “nós faremos uma votação que é surreal. A população brasileira precisa saber que, ao votarmos este parágrafo do art. 37, estará proibida literalmente a veiculação de propaganda eleitoral a partir de faixas, placas, cartazes, bandeiras, pinturas e inscrições nas casas das pessoas. Ou seja, eu estarei proibida de colocar uma bandeira do meu próprio partido e da minha candidatura na minha casa durante o período eleitoral”.

“Nós estaremos retrocedendo a um período absolutamente autoritário do nosso País. Nós estaremos proibindo as pessoas de fazer aquilo que fizeram durante as grandes manifestações deste ano, no nosso País”, insistiu a parlamentar em discurso durante a votação dos destaques da matéria. 

E, falando para o público da TV Câmara, que transmite a sessão de votações, ela disse “a livre manifestação do pensar, durante o período eleitoral, na casa das pessoas, da janela para fora, estará proibida. Eu digo mais: há pequenas cidades no nosso País, há cidades em que os candidatos não são aqueles da capital — como eu, que tenho o uso da televisão, sou beneficiada, no cotidiano dos programas eleitorais —, cidades em que as campanhas são feitas de porta em porta, com as bandeiras dos partidos fixadas da porta para fora, no jardim das casas”.

Ela disse que no interior do Rio Grande do Sul, e nos demais estados brasileiros, as bandeiras dos partidos são fixadas para identificar as candidaturas dos prefeitos e que com a minirreforma eleitoral isso será proibido no processo eleitoral. As pessoas não poderão fixar as suas bandeiras partidárias, dos seus candidatos, nas suas casas. 

“Em nome de quê? De qual tipo de campanha?”, questionou a deputada. Para, em seguida, alertar que a campanha aprovada na Câmara privilegia as grandes campanhas midiáticas na televisão e a contratação de cabos eleitorais sem compromisso com nada, que são contratados aos milhares no período eleitoral? 

Para Manuela, a decisão de impedir a livre manifestação dos eleitores no processo eleitoral é inconstitucional, anunciando que o PCdoB entrará com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) se a lei for sancionada. “Nós não temos o direito de calar a população brasileira dentro das suas casas, nunca e nem no período eleitoral”, explicou a deputada.

Outros partidos

O deputado Afonso Florence (PT-BA) disse que a limitação vai afetar a liberdade política dos cidadãos de se manifestar no processo eleitoral, confirmando as palavras da líder do PCdoB, deputada Manuela D’Ávila. 

O deputado Chico Alencar (Psol-RJ - foto ao lado) chegou a dizer que, se a regra se aplicar à eleição de 2014, será descumprida por ele. “Eu vou colocar uma bandeira na minha casa”, disse.

A proibição de bonecos e bandeiras nas vias públicas durante as campanhas foi outro ponto de discussão. As bandeiras foram liberadas, mas os bonecos passaram a ser proibidos. O deputado Esperidião Amin (PP-SC) ironizou a fala da deputada Luciana Santos, dizendo que “respeitamos os bonecos em Olinda. Nas campanhas, não”, disse.

Segundo Luciana Santos, os bonecos permitem que os candidatos abordem o povo de uma maneira criativa. “Os bonecos gigantes significam o momento de festejar. Eleição é festa da democracia”, defendeu.

Próximas eleições

Apesar da aprovação da minirreforma, restam dúvidas sobre a aplicação do projeto nas próximas eleições. O líder do PT, deputado José Guimarães (CE), voltou a dizer que o projeto não poderá ser aplicado em 2014 por violar a regra da anualidade. 

Segundo essa regra, as mudanças eleitorais só valerão para eleições subsequentes se entrarem em vigor um ano antes das eleições. Assim, a proposta deveria entrar em vigor no dia 5 de outubro.

O líder do PMDB e relator da proposta, deputado Eduardo Cunha, avalia que toda a minirreforma será aplicada, já que trata apenas de procedimentos eleitorais e não de regras das eleições.

De Brasília
Márcia Xavier
Com Agência Câmara



No lançamento do livro de Ludimar de Miranda





Caro Ludimar foi com muita alegria que estive no lançamento do seu Embarque Literário.

Confesso que saí da plataforma e já começo a viagem em seus poemas.

Entretanto, tenho que confessar:  não permaneço muito nas leituras, para que a fadiga não prejudique minha capacidade de leitura.

Assim, carrega-lo-ei por um bom tempo debaixo do braço,

Obrigado amigo.

Deixo um poema teu aos leitores deste PÓ.


"Solidão é uma casa fechada onde um dia morou a ilusão"
Ludimar de Miranda


SONHO

Quando beijei você
fechei os olhos
porque julgava um sonho
o que era real.

Flutuei leve
como pena
no teu beijo
e, hoje, lembrando
sinto falta
do real
que foi um sonho


Miranda, Ludimar, "Embarque Literário", ed Daikoku, São Paulo, 2013



Desterro


lady_silhouette

Tuas palavras
são incógnitas.

Sigo o sentido
na modulação 
do timbre,
mais real.

Teus momentos
imprevistos,
tão sonoros
olhos fixos
no infinito,
não atendem,
molduram.

Oscilo ermo
entre paz
e chamas,
uivo isolado
no monte
dos desejos,
e sigo,
abstraído
a rota
da despedida.

(Poema "Desterro", do livro "Gota Serena")

Ai Jesus!

Ai Jesus! não vês que gemo,
que desmaio de paixão
pelos teus olhos azuis?
Que empalideço, que tremo,
que me expira o coração?
              Ai Jesus!

Que por um olhar, donzela,
eu poderia morrer 
dos teus olhos pela luz?
Que morte! Que morte bela!
Antes seria viver!
            Ai Jesus!

Que por um beijo perdido
eu de gozo morreria
em teus níveos seios nus?  
Que no oceano dum gemido
minh'alma se afogaria?
          Ai Jesus!

("Ai Jesus!", da primeira parte da "Lira dos Vinte Anos" de Alvares de Azevedo)

Papa manda sair Bispo que vivia no luxo

O Papa Francisco está começando a tomar iniciativas para coibir abusos de exploração dos fiéis. Sabemos que esta é luta infatigável, pois não são poucos os que tem uma vida luxuosa e saem pregando a palavra de Deus. Veja matéria obtida no IG

Franz-Peter Tebartz-van Elst foi alvo de polêmica por possuir casa de R$ 91 mi e é acusado de mentir à Justiça



    papa Francisco ordenou que o bispo alemão Franz-Peter Tebartz-van Elst,
     conhecido como "bispo do luxo" por gastar cerca de 31 milhões de 
    euros (R$ 91,2 milhões) em uma residência , deixe a diocese em que
    trabalha por um período indeterminado, informou o Vaticano nesta quarta-feira.

    AP
    Bispo de Limburg Franz-Peter Tebartz-van Elst abençoa
    escola de crianças em Frankfurt, Alemanha (08/2013)

    A decisão, que representa quase uma demissão, foi tomada contra o bispo
     de Limburg dois dias após um encontro dele com o papa para discutir o
     escândalo na Igreja da Alemanha, num momento em que o pontífice
     busca ressaltar a importância da humildade e de servir aos pobres.
    No início do mês, o bispo foi acusado pelo Ministério Público de
    Hamburgo de ter mentido no tribunal em um processo aberto por ele
    contra a revista alemã Der Spiegel.
    Tebartz-van Elst entrou com um processo por uma reportagem que
    afirmava que ele viajou à Índia para visitar crianças pobres na primeira
    classe do avião.
    Em entrevista publicada pelo jornal Bild, o bispo defendeu a construção
     da residência milionária, dizendo que se tratavam de dez projetos e que
    houve custos adicionais por causa de regulamentações de prédios sob
     proteção histórica.
    Com Reuters e AP