terça-feira, 31 de maio de 2011

Assassinatos no campo

Denunciamos dias atrás que o Código Florestal, que vem atender várias demandas de agricultores deste imenso Brasil, não impediria que continuassem ois assassinatos dos pequenos defensores das matas. A eles nossa reverência e revolta. Prisão para os madeireiros assassinos!  

A FIFA, João Havelange e Ricardo Teixeira

Todos sempre souberam que havia mutreta e das grandes na FIFA, só a imprensa que se calava, e os jornalistas que denunciavam eram colocados no ostracismo, como o Juca Kfouri muitas vezes foi "escanteado".

Hoje veio à tona na Europa aquilo que todos já sabiam. Mas eles insistem em querer que continuemos cegos, surdos e mudos. Mas o mundo mudou e cada vez vai ficando mais claro que as obras para a Copa passam por várias caixinhas, até ficar com um preço exorbitante.

Porque o Morumbi não foi aceito? Porque já está pronto!

A CBF é uma piada, o Sr. Ricardo Teixeira é intocável, isto é um verdadeiro absurdo.

Aldo Rebelo mexeu neste vespeiro com uma CPI, no passado, e os deputados do futebol jogaram a CPI para fora de campo.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Cristãos iraquianos pagam com a morte pela invasão do império evangélico

O evangélico Bush nem queia saber de Saddan mas do petróleo, e baseando-se em suas convicções vitoriosas  de sua fé, tornou o Iraque uma terra devastada. Agora os cristãos que lá, que estão desde os primórdios do cristianismo são os que pagam por esta aventura terrorista. Veja artigo do Zenit.


Iraque: cristãos horrorizados com assassinato "desumano"



87 cristãos iraquianos mortos em 2010, segundo Assyria Council of Europe


KIRKUK, quinta-feira, 26 de maio de 2011 (ZENIT.org) - Uma patrulha da polícia iraquiana encontrou na segunda-feira, 16 de maio, em Kirkuk, o corpo de um jovem cristão, Ashour Issa Yaqub (escrito também Jacó), de 29 anos, casado e com 3 filhos. O corpo estava terrivelmente desfigurado.


Segundo declarou à Agence France-Presse (16 de maio) o chefe de polícia da província de Kirkuk, o major-general Jamal Taher Bakr, os assassinos cortaram quase completamente a cabeça da vítima. O chefe do departamento de Saúde da província, Sadiq Omar Rasul, confirmou o fato desagradável, acrescentando que o corpo de Yacub apresentava "sinais de tortura e mordidas de cães".


Outros detalhes foram fornecidos pela Assyrian International News Agency (16 de maio). Yacub teve os olhos arrancados de suas órbitas e suas orelhas cortadas. Como se não bastasse, a pobre vítima foi encontrada com o rosto sem pele.


Yacub, que trabalhava para uma empresa de construção, foi sequestrado três dias antes, ou seja, no sábado, 14 de maio, ainda em Kirkuk, capital da homônima província de petróleo localizada em território curdo, cerca de 250 km ao norte de Bagdá.


Os sequestradores, que segundo a polícia pertencem a uma célula da rede terrorista Al Qaeda, haviam pedido à família da vítima um resgate de 100 mil dólares, mas, segundo uma fonte de AsiaNews (16 de maio), as negociações "não chegaram a bom término”. Na verdade, 100 mil dólares é um valor muito elevado para um país onde, segundo a AFP, o salário médio diário de um trabalhador de construção equivale a 21 dólares.


Conforme um pastor evangélico relatou a Compass Direct News (18 de maio), antes do sequestro, uns desconhecidos se aproximaram do dono da empresa de Yacub, intimando-o a demitir o trabalhador, “porque ele era um cristão, mas ele recusou".


Sendo um empresário rico, mas inalcançável - disse o pastor, que, por motivos de segurança, pediu para permanecer anônimo -, sequestraram e infelizmente também assassinaram Yacub.


O homicídio, considerado "bestial" e "um crime hediondo contra a nação, a religião e a humanidade" pelo secretário-geral da União dos estudantes e jovens assírio-caldeus, Kaldo Oghanna, afetou profundamente a comunidade cristã. "É uma situação muito grave, e todos os jovens se sentem sem esperança", disse o líder cristão a Compass.


Também foi dura a condenação por parte do arcebispo caldeu de Kirkuk, Dom Louis Sako. "Nenhum homem que crê em Deus e tem um respeito pela vida pode cometer tais atos", disse ele em uma primeira reação, falando de um "ato desumano" (AsiaNews).


O arcebispo também está convencido de que o trabalhador foi sequestrado por dinheiro. "Ele foi sequestrado por dinheiro. Isso acontece, mas geralmente os sequestradores não torturam nem matam dessa forma", explicou o arcebispo Sako em uma conversa telefônica com o Compass Direct News.


"É como se fossem animais - continuou ele. Mataram-no imediatamente para assustar as pessoas de Kirkuk e enviar a mensagem de que, se eles são sequestrados, têm de pagar."


No entanto, para o deputado cristão Imad Yohanna, também de Kirkuk, Yacub foi sequestrado por causa de sua participação na comunidade cristã.


Segundo Yohanna - relata a Associated Press (14 de maio) -, os cristãos são alvos "fáceis" porque eles costumam pagar o resgate sem oposição, ao contrário dos grupos árabes, que não hesitam em recorrer às armas para libertar as pessoas.


Embora o arcebispo Sako duvide de que seja um gesto anticristão, teme que o brutal assassinato desse pai de família leve muitos cristãos a abandonar a cidade.


"Em Kirkuk, poucas famílias haviam deixado a cidade, mas isso é um choque. Acho que depois disso irão embora, porque isto é muito grave", disse o arcebispo a Compass.


O que aconteceu, portanto, corre o risco de alimentar o fluxo migratório do Iraque de cristãos ou "assírios", como também são chamados. Um novo relatório (1) elaborado pelo Assyria Council of Europe (ACE) - um organismo independente que visa a aumentar a sensibilidade dentro da União Europeia com relação à situação dos cristãos iraquianos – confirma, de fato, o declínio dramático do número de cristãos no país.


Entre 2004 e 2010, mais de 60% da comunidade assíria já deixou o Iraque por causa do clima de terror e os contínuos ataques contra alvos cristãos. Com uma população estimada de cerca de 2 milhões, os assírios - também conhecidos como caldeus e sírios – constituíam, em 2004 (ou seja, o primeiro ano após a queda de Saddam Hussein), ainda o terceiro maior grupo no Iraque. Hoje, reafirma o relatório, esse número varia entre 400-600 mil.


Segundo dados do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR ou UNHCR), 13% de todos os refugiados iraquianos registrados na Síria, Jordânia, Líbano, Turquia e Egito são cristãos. Por sua vez, a agência AINA estima que até 40% dos refugiados iraquianos na Síria e na Jordânia são de origem assíria. Além disso, os deslocados internos no Iraque são cerca de 2,8 milhões, dos quais 5% são cristãos.


O relatório revela também que (pelo menos) 87 assírios foram mortos no período de janeiro a dezembro do ano passado, uma dado que transforma 2010 no ano mais sangrento depois de 2004 (115 vítimas). Embora o maior número de incidentes tenha ocorrido na terceira cidade do Iraque, Mossul, a cidade com o maior número de cristãos mortos é a capital, Bagdá, por causa do ataque terrorista do último 31 de outubro, contra a catedral sírio-católica de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.


O clima de insegurança e o extremismo atingem particularmente as mulheres e crianças pertencentes a minorias diversas, que, de acordo com Minority Groups International,representam "o setor mais vulnerável ​​da sociedade iraquiana". Não usar o véu islâmico (hijab) ou vestir-se como os ocidentais significa problema para as mulheres.


Como indica o relatório do Assyria Council of Europe, nem sequer em campos de refugiados as mulheres e os jovens cristãos estão seguros: estão muito expostos ​​ao tráfico de seres humanos e à exploração sexual ou prostituição forçada.


"Hoje a situação no Iraque é complexa - disse Oghanna (Compass Direct News). Temos medo - continuou o secretário-geral do Chaldo-Assyrian Student and Youth Union - de que os próximos dias sejam duros para nós, cristãos."

--- --- ---

Sudão: conflitos ameaçam independência do sul


Há uma deterioração crescente no Sudão e o perigo de uma guerra civil decorrente do processo de separação é cada vez mais visível.. Veja artigo que retirei do Zenit

CARTUM, quinta-feira, 26 de maio de 2011 (ZENIT.org) – Novos episódios violentos atingem nestes dias a província de Abyei, a região petrolífera disputada pelo governo do Sudão do Sul e o de Cartum.


No domingo passado, o governo de Cartum enviou o exército para ocupar a cidade de Abyei, situada no limite entre o norte e o sul do Sudão, e já fugiram da província cerca de 40 mil pessoas, informa o L'Osservatore Romano.


De Abyei estão chegando “informes horríveis de incêndios e saques”.


A ocupação da cidade pelas forças armadas do norte viola o acordo de paz de 2005, razão pela qual foi condenada pelo Conselho de Segurança da ONU.


Secours Catholique-Cáritas França recolheu algumas declarações que mostram os temores e esperanças dos católicos das dioceses de Cartum e Torit.


“Os problemas da cidadania, da dívida internacional e da gestão do petróleo devem ser resolvidos antes da independência oficial do Sudão do Sul, em julho”, declarou o secretário diocesano de Educação de Cartum, Pe. Jangara Modi.


O administrador da diocese de Torit, no Sudão do Sul, Pe. Hakim Dario, considera que “o conflito em Abyei não deveria comprometer o processo de independência do Sudão do Sul, já que existe uma vontade forte de que este se desenvolva em boas condições”.


Neste sentido, o Pe. Jangara Modi destacou que “os sudaneses se tornaram mais sábios” e “sabem que, se tomarem as armas, isso marcará o fim do processo de independência”.


A independência do Sudão do Sul “não mudará nada” nas atividades de ambas as dioceses. No entanto, o Pe. Dario reconheceu que lhes preocupa o futuro da Igreja no norte do Sudão, de maioria muçulmana.


“A Igreja se tornará muito minoritária e temo que as perseguições que já sofre aumentarão e que os cristãos serão expulsos”, acrescentou.


O International Crisis Group advertiu que “as ofensas largamente reprimidas ressurgiram e ameaçam a estabilidade, às vésperas da independência do sul do Sudão”.


A ONU confirmou confrontos entre grupos rebeldes e o exército, mas também diversos grupos étnicos disputam terras e gado, sem esquecer dos ataques de rebeldes ugandenses do Exército de Resistência do Senhor”.


Em Abyei há registros de crimes de guerra e crimes contra a humanidade.


“A concentração de carros de combate e helicópteros, a ampliação das infraestruturas militares, a consistência das tropas e seu deslocamentos, revelados pelos satélites, demonstram que a invasão da região foi premeditada e bem planejada”, indica o jornal vaticano.


A ONU enviou a Abyei um contingente dos capacetes azuis da missão no Sudão, com o objetivo de acabar com os incêndios e saques e acompanhar a ocupação.

Os golpes da Mídia, na luta pelo poder

Caso Palocci foi requentado pela mídia em socorro a uma oposição esfacelada. PSDB querendo unir-se ao PPS e DEM, pois estão com bancadas cada vez mais reduzidas, enquanto a maioria do Governo cresce. Kassab abrindo novo partido com características mais abertas e equidistantes entre a oposição e o Governo.

A mídia resolveu vir em socorro da oposição ao Governo Dilma na hora certa.

Escolheram a votação do Código Florestal, onde identificaram divisões pontuais nas hostes governamentais e introduziram a bomba relógio trazida para o governo, o cavalo de tróia, Palocci.

Porque já sabiam de antemão que daí viriam problemas; esperaram apenas a ocasião.

A escolha de Palocci se deu pelo fato do mesmo ter boa circulação entre o grande empresariado nacional e estrangeiro.

Só que este fator é uma faca de dois gumes: se por um lado lhe deu projeção política, de outro carregou a munição para a arma inimiga, pois sabemos que o empresariado espera a oportunidade para desbancar o governo popular, e municia de informações os meios de comunicação, sobre os serviços prestados pelo ex-ministro.

Assim a Folha foi melhor do que qualquer partido político, em suas tentativas desestabilizadoras. E está conseguindo.

Mas porque a Folha faz isto?

A primeira razão está no fato de que o Governo Dilma, continuando o que Lula fez, pulverizar as verbas de propaganda do Governo pela imprensa, com maior capilaridade, escolhendo pequenos veículos de comunicação deste imenso /Brasil, deixando de lado as verbas vultuosas que a grande imprensa recebia antes, durante o Governo FHC.

Isto enfureceu a grande imprensa, que agora volta com o mesmo discurso que fez no primeiro Governo Lula. Com uma diferença.

Agora Dilma sabe da jogada e deve endurecer com esta tentativa de golpe.

O caso Palocci tem tudo de antiético, mas nada de ilegal.

Se quisermos tornar ilegal as consultorias que a empresa de consultoria de Palocci fez durante a sua vacância da vida política governamental, devemos mudar a lei e igualar os Ministros com as regras dos presidentes do Banco Central, que tem um tempo de espera para poder se recolocar no mercado, exatamente pela influência que obtém advinda do cargo.

Alías, porque a Mídia não requentou a vida dos outros que estiveram nestas mesmas condições, como Fernando Meirelles, e outros dos Governos tucanos? Porque são deles, e para eles se encoberta tudo.

Muito simples, há um objetivo de atingir o Governo Dilma agora, desgastando-o para as próximas eleições municipais.

Palocci é apenas um mote para um objetivo maior, de recolocar a direita no poder, da qual estão excluídas há três governos, depois de 4 séculos de dominação.

A direita no Congresso teve nestes dias, os seus momentos de orgasmo do velhos tempos, mas é apenas "marola", como diria Lula, pois na verdade quem tem poder de oposição é a grande imprensa.

Esta sim, vem pressionando progressivamente o Governo através da Globo, Estadão e Folha, cada uma com o seu jeito "democrático se ser", uns mais explícitos na oposição, outros mais "abertos", e ferroando pelas costas.

Como o Governo passa por uma fase de contenção de despesas, e controle de inflação, ficou mais vulnerável a ação das aves de rapina, sequiosas de carniça.

Arrumaram uma, a seu gosto, e a explodiram agora, no melhor figurino de manipulação da população.

Vamos ver os próximos lances desta contenda Governo X Mídia.


quinta-feira, 26 de maio de 2011

Coincidência da morte de ambientalista com a votação do Código Florestal.



Podemos considerar uma ironia do destino, um ocaso, a coincidência da votação do Código Florestal e o assassinato de José claúdio e sua esposa.

Um mundo que exige desenvolvimento acelerado, para dar conta dos inúmeros jovens que anualmente entram no mercado de trabalho. A China com uma média de 10% de crescimento anual, e o Brasil com 7, 8 %, até o ano passado. Os EUA imprimindo dólar aos borbotões para desvalorizar as moedas emergentes, e frear as suas exportações.

Mundo que é obrigado a reconhecer que o campo exige mudanças que o adequem às novas exigências do mercado internacional.

Mundo de guerras e atrocidades de toda ordem, e em escala crescente.

Com desastres naturais se intensificando em todas as partes. Com intolerância religiosa, política, e com todas as minorias. Com a descaracterização da família.

Uma votação do Código Florestal que atende a maioria do governo e da oposição, deixando isolados os ambientalistas e as ongs internacionais, demonstrando consenço no país nesta questão, polêmica.

Como alguém quer viver da floresta, fazendo óleo de castanha, confeccionando bolsas e bijouterias com sementes, enquanto a produção econômica do campo acompanha a voracidade do mercado mundial? É uma competição desigual, mortal. É querer voltar à idade média, na pós-comtemporaneidade.

Enquanto isso a morte, à moda antiga, encomendada, continua desde Chico Mendes.

Exigimos apuração completa e prisão dos criminosos e mandantes deste crime onde até a orelha de José Cláudio foi arrancada, para o assassino provar ao mandante que ele foi assassinado.

Eu não acredito no acaso.

Acredito, isto sim, num Deus que acompanha e faz a História, e diz o que Ele quer através de várias formas, entre elas os acontecimentos.

E neste acontecimento em especial, Ele nos diz que a aprovação do Código Florestal continuará acompanhado da morte dos pequenos, dos defensores do campo e de suas reservas.

Aqueles que defendem a preservação dos recursos naturais, que sentem necessidade das gerações futuras usufruírem das matas e de águas limpas, com a preservação da flora e fauna, continuarão a sofrer, mesmo com o Código que foi votado.

É a sina no homem do campo.

A nossa homenagem a este novo herói do povo brasileiro, este novo santo assassinado, este revolucionário quixotesco.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Te entrega Corisco! Eu não me entrego não. Eu só me entrego na morte, de parabelo na mão!

1940- 25 de maio, Dia do Corisco e da Dadá


A volante de José Rufino, BA, tocaia e mata o último cangaceiro, Corisco, o Diabo Louro, vingador de Lampião. Sua companheira Dadá é ferida, presa, perde uma perna, mas vive e participa das lutas populares até os anos 80.

O casal de cangaceiros

Memória dos grandes lutadores do movimento social brasileiro




Câmara aprova Código Florestal relatado por Aldo Rebelo (PCdoB) - Portal Vermelho

Câmara aprova Código Florestal relatado por Aldo Rebelo (PCdoB) - Portal Vermelho

Aborto de fetos do sexo feminino e infanticídio de meninas na India, coloca o país em penúltimo na proporção homens/mulheres

Na Índia as mulheres tem mais dificuldades para nascerem do que os homens.

o censo de 2011 no país revelou um forte declínio no número de meninas com menos de sete anos.

A Índia tinha em 2001 um total de 1,027 bilhão de habitantes, dos quais 531 milhões de homens e 495 milhões de mulheres, ou seja, uma taxa global de 933 mulheres para cada mil homens.


"Essa proporção não pára de degradar-se desde o início do século", afirmou Nafisa Alí, militante pelos direitos da mulher, que fala de uma verdadeira "praga social".

Em 1901, essa taxa era de 972 mulheres por mil homens.

Este desequilíbrio é ainda maior na faixa etária de zero a seis anos (927 meninas para cada mil meninos em 2001).

Tanto as mães, quanto os fetos são objeto de extrema violência da parte de maridos e familiares, refletindo uma cultura machista e de extermínio cultural.

Uma sociedade que privilegia o homem tem no nascimento de uma mulher uma vergonha. Esta prática ocorre também em países onde a mulher ainda não alcançou os seus direitos básicos.

A picture of Najla Hariri taken from her Twitter account @hariri65.

Recentemente informamos que na Arábia Saudita as mulheres estavam começando um movimento, via facebook, para o dia 17/05, para ter direito a dirigir automóveis.

É notícia que aqui no Brasil, soa como absurda, mas é real.

Os movimentos feministas e de defesa do direito das mulheres no ocidente são um sonho de verão no Oriente e Oriente Médio.


Mídia e violência

Deixo uma questão para o leitor refletir e posicionar-se.

A mídia, em suas manchetes diárias,  reflete a violência que existe no país? ou ela, com suas manchetes, é uma disseminadora de violência? São as duas coisas? ou não existe relação, e deve-se exclusivamente a situação econômico social?

O que vocês acham?

Para encerrar, uma questão final:

A cultura de paz tem espaço para substituir a cultura da violência?

Você fez uma opção pela paz, por ser um pacíficador?

Prisão de Pimenta Neves revela falência do Judiciário. Rico nunca fica preso

Jornalista, assassino confesso de Sandra Gomide em 2000, foi condenado a 19 nos em 2006, tendo cumprido 7 escassos meses de prisão.

 Com inúmeros recursos impetrados pelos seus advogados, teve a prisão relaxada.

Depois obteve a redução da pena para 15 anos.

Agora preso, não deve ficar mais que um ano e onze meses na cadeia. Uma bába.

De resto, perdeu sua vida, andou fechado tempo integral em casa, sem atividades, se esgueirando de tudo e de todos.

Pagou mais pelo que perdeu, do que pelo que foi condenado, sendo esta a justiça verdadeira, que passa por fora de nossa compreensão. Esta justiça só se percebe quem tem olhos para ver e ouvidos para ouvir.

Vale o dito popular, aqui se faz, aqui se paga

Matar covardemente uma jovem jornalista, sua subordinada e namorada, com um tiro na cabeça e outro nas costas, produziu a idéia de que vale a pena rico matar, porque a justiça tem mecanismos para impedir a prisão.






terça-feira, 24 de maio de 2011

Primeira usina solar brasileira. Esperemos que seja a primeira de muitas

Fontes alternativas de energia elétrica é o que mais precisamos, para ir revertendo a tendência de uso das termoelétricas. Esta é uma boa notícia. Obtive esta informação no IG

Obra de Eike Batista com apoio do BID será inaugurada no dia 3 de junho, mas já está em fase de testes


Sabrina Lorenzi, iG Rio de Janeiro
24/05/2011 12:48



Pela primeira vez o sistema elétrico brasileiro conta com energia do sol. A MPX, empresa de Eike Batista, anunciará daqui a pouco que já conectou a usina MPX Tauá à rede nacional. A planta está em fase de testes desde ontem (segunda-feira, 23) e será inaugurada no dia 3 de junho.

Localizada no sertão do Ceará, em uma área de 12 mil metros quadrados, o empreendimento terá capacidade de geração de 1 MW, equivalente ao consumo de 1,5 mil famílias. É muito pouco em relação ao que produzem as demais fontes de energia, mas é um passo muito importante para o País porque o coloca entre os países que dominam a tecnologia.

Usina possui 4,6 mil painéis fotovoltaicos

Com 4.680 painéis fotovoltaicos, que absorvem a luz do sol para transformação em energia elétrica, a planta recebeu investimentos totais de cerca de R$ 10 milhões. O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) apoiou o projeto, inédito no País, com aporte de US$ 700 mil.

Projetada para crescer

A usina será ampliada gradualmente até atingir a capacidade de 50 MW. A empresa já possui autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e licença da Superintendência Estadual do Meio Ambiente do Ceará (Semace) para aumentar a capacidade da MPX Tauá para 5 MW.

Distante cerca de 360 quilômetros de Fortaleza, capital do Ceará, a MPX Tauá está conectada ao Sistema Interligado Nacional (SIN) através de subestação da distribuidora Coelce, a partir de uma linha de 13,8 kV e 12 quilômetros de extensão.

Os painéis de alta eficiência da usina solar foram fabricados pela empresa japonesa Kyocera, com experiência de mais de 30 anos no setor. A cidade de Tauá foi escolhida por seus elevados índices de radiação solar ao longo de todo o ano.

Aposta na próxima década

Já existem projetos de aproveitamento da luz do sol no Brasil, mas nenhum deles é conectado ao sistema interligado. São circuitos voltados para a produção própria de residências, prédios comérciais, comunidades isoladas do sistema elétrico, entre outros casos.

A energia vai para todo o Brasil e será colocada na conta do consumidor, mas sem impacto na fatura porque representa muito pouco do consumo. A energia solar deve ganhar espaço no País apenas na próxima década, pois ainda é muito cara em relação às outras fontes de eletricidade. Cada MW/hora gerado a partir do sol custa cerca de 4,5 vezes mais que o mesmo gerado a partir da água. Mas o preço tende a cair, conforme o domínio de tecnologia e o aumento de escala. O sol é uma das apostas do planejamento energético como importante fonte de enegia a partir dos próximos 20 anos, quando se esgotarem as possibilidades de novas hidrelétricas.





Dep. Aldo Rebelo decide enviar carta aberta à Presidente Dilma

Infelizmente, fazendo parte do bloco de apoio ao Governo, se vê o deputado Aldo Rebelo na obrigação de enviar uma carta aberta à Presidente Dilma, uma vez que o PT colocou restrições ao projeto do Código Florestal, deixando uma insegurança quanto à aprovação do mesmo.

Abaixo a carta de Aldo.

Aldo Rebelo: Carta Aberta à presidente Dilma Rousseff



Excelentíssima presidente Dilma Rousseff,


Diante da iminente votação do novo Código Florestal, e na condição de relator do projeto na Câmara dos Deputados, sinto-me no dever de prestar breves esclarecimentos sobre o assunto no sentido de ajudá-la na compreensão dos aspectos aparentemente polêmicos da matéria em discussão.


Os adversários da atualização do Código insistem na patranha de que meu relatório "anistia" desmatadores. A verdade é que a "anistia" existente e que está em vigor é a assinada pelo ministro Carlos Minc e pelo presidente Lula em junho de 2008 e renovada em dezembro de 2009, no Decreto 7.029/09.

O presidente e o ministro perceberam que quase 100% dos 5 milhões e 200 mil agricultores, 4 milhões e 300 mil deles pequenos proprietários, não teriam como cumprir a legislação alterada por força de medidas provisórias nunca votadas no Congresso, decretos, portarias, instruções normativas e resoluções absurdas do Conama.

Transcrevo a seguir o Artigo 6º do decreto em vigor e que expira em 11 de junho:

1) O decreto suspende a aplicação das multas relativas a APP e RL.

§ 1º. A partir da data de adesão ao "Programa Mais Ambiente", o proprietário ou possuidor não será autuado com base nos arts. 43, 48, 51 e 55 do Decreto nº 6.514, de 2008, desde que a infração tenha sido cometida até o dia anterior à data de publicação deste Decreto e que cumpra as obrigações previstas no Termo de Adesão e Compromisso.

Importante destacar que os artigos mencionados tratam dos crimes de destruição e danificação de florestas e vegetação nativa em Área de Preservação Permanente – APP (43) ou de impedir e dificultar regeneração de vegetação nativa (48), e em Reserva Legal (art. 48, art. 51, art. 55), que não seriam mais autuados ou seja, suspendendo na prática a lei de crimes ambientais.

2) O decreto suspende as multas já lavradas:

§ 2º A adesão ao "Programa Mais Ambiente" suspenderá a cobrança das multas aplicadas em decorrência das infrações aos dispositivos referidos no § 1º, exceto nos casos de processos com julgamento definitivo na esfera administrativa.

O Programa Mais Ambiente suspende multas já aplicadas para todos os que a ele aderirem.

3) Cumpridas as exigências do Programa, as multas aplicadas não serão cobradas:

§ 3º Cumprido integralmente o Termo de Adesão e Compromisso nos prazos e condições estabelecidos, as multas aplicadas em decorrência das infrações a que se refere o § 1º serão consideradas como convertidas em serviços de preservação, melhoria e recuperação da qualidade do meio ambiente.

Eis a "anistia" em sua plenitude. As aspas são apenas para contestar o conceito, pois de "anistia" não se trata, uma vez que não há perdão mas apenas permuta entre a infração cometida e compromisso da regularização dos proprietários.

O que proponho em meu relatório tem o exato conteúdo do decreto em vigor:

Art. 33º.

§ 4º. Durante o prazo a que se refere o §2º e enquanto estiver sendo cumprindo o Termo de Adesão e Compromisso, o proprietário ou possuidor não poderá ser autuado e serão suspensas as sanções decorrentes de infrações cometidas antes de 22 de julho de 2008, relativas à supressão irregular de vegetação em áreas de reserva legal, áreas de preservação permanente e áreas de uso restrito, nos termos do regulamento.

§ 5º Cumpridas as obrigações estabelecidas no Programa de Regularização Ambiental ou no termo de compromisso para a regularização ambiental das exigências desta lei, nos prazos e condições neles estabelecidos, as multas, referidas neste artigo, serão consideradas como convertidas em serviços de preservação, melhoria e recuperação da qualidade do meio ambiente, legitimando as áreas que remanesceram ocupadas com atividades agrossivopastoris, regularizando seu uso como área rural consolidada para todos os fins.

Art. 34º. A assinatura de Termo de Adesão e Compromisso para regularização do imóvel ou posse rural junto ao órgão ambiental competente, mencionado no art. 33, suspenderá a punibilidade dos crimes previstos nos arts. 38, 39 e 48 da Lei nº 9.605 de 12 de fevereiro de 1998, enquanto este estiver sendo cumprido.

§1º A prescrição ficará interrompida durante o período de suspensão da pretensão punitiva.

§2º Extingue-se a punibilidade com a efetiva regularização prevista nesta lei.

É evidente que não há "anistia", mas a interrupção da prescrição das multas até a adequação dos agricultores aos dispositivos da legislação. O que se busca é estimular a regularização ambiental da agricultura em lugar da solução ineficaz das multas e autuações.

Quanto à consolidação das atividades em Áreas de Preservação Permanente é de se destacar tratar-se de cultivos e pastoreio centenários de pequenas propriedades que não podem ser removidos como se erva daninha fossem. A recuperação de APPs, tanto as de topo de morro, encostas ou margem de rio deve considerar a existência do homem, de sua família, de sua sobrevivência, o que parece não estar presente na preocupação do ambientalismo neomalthusiano.

Confio na Vossa sensibilidade de chefe da Nação para arbitrar com equilíbrio e espírito humanitário a necessidade de combinar preservação ambiental e interesses da agricultura e do povo brasileiro. ONGs internacionais para cá despachadas pelos países ricos e sua agricultura subsidiada pressionam para decidir os rumos do nosso país. Eles já quebraram a agricultura africana e mexicana, com as consequências sociais visíveis. Não podemos permitir que o mesmo aconteça no Brasil. Termino relembrando o Padre Vieira quando alertou em um dos seus sermões: "Não vêm cá buscar nosso bem, vêm buscar nossos bens."

Com apreço e admiração

Aldo Rebelo

Pode começar com um sorriso, depois um abraço, e por fim...



É tão simples e tão importante sair do isolamento e buscar quem está próximo a você. Quem sabe o mundo possa avançar mais em sua grande união universal, num grande encontro de todos, superando suas diferenças, e acreditando num mundo de paz.

Desejo ardentemente a paz!

Paz para todos!

Paz para as dívidas! Que haja um grande Jubileu!

Paz de famílias!

Paz entre os países, entre seus próprios povos!

Paz entre as religiões!

Paz entre as raças!

Paz entre os gêneros de toda espécie!

Paz para os que sofrem!

Paz para os perseguidos por causa da justiça!

Paz para os pobres! e porque não para os ricos também, se souberem compartilhar!

Paz para o policial e para o bandido!

Paz para o forte e para o fraco!

Paz ampla, geral e irrestrita!

Paz e perdão!

Paz e justiça!

Paz e verdade!

Otan, inspirada em Hitler, destrói Trípoli matando e ferindo a população

"Bombardeios Humanitários". ...

Nunca se fez tamanha estupidez.

A barbárie da OTAN, sob a proteção da França, Grã-Bretanha, Itália, anda devastando o território Líbio com requintes de uma Besta, um dragão.

São assassinos disfarçados, verdadeiros demônios, bestas do apocalípse, serpentes, esperando a oportunidade de matar e matar.

Só sabem matar.

É preciso dar um paradeiro a estas ações criminosas da Otan inspiradas em Adolf Hitler.

Tudo isso com a ajuda dos "rebeldes", isto é dos bajuladores, dos puxa-sacos do Império, dos que se aproveitam de uma revolução e a desviam de seus objetivos.

Veja matéria do IG

Otan lança forte ofensiva aérea na Líbia



Bombardeios deixaram três mortos e 150 feridos. Operação parece ter atacado complexo de Kadafi em Trípoli


BBC Brasil
23/05/2011 23:54


Aeronaves da Otan realizaram na noite desta segunda-feira (horário de Brasília) uma ofensiva de grande magnitude em Trípoli, no que aparenta ser o maior ataque à Líbia desde o início da campanha da aliança militar ocidental no país, em março. Alguns dos bombardeios parecem ter alvejado o complexo do líder líbio, Muamar Kadafi, na capital

Há registros de entre 12 e 20 explosões em Trípoli nas últimas horas. Após cada uma delas, era possível observar aeronaves da Otan sobrevoando as chamas. O correspondente da BBC em Trípoli, Andrew North, afirma que os fortes ataques parecem marcar o início de uma escalada da campanha da Otan no país, após um breve período de calmaria.

A aliança está agindo na Líbia com mandado da ONU, sob o argumento de proteger os civis líbios das tropas do regime de Khadafi. Moussa Ibrahim, porta-voz do governo líbio, afirmou que três pessoas foram mortas na operação desta segunda e outras 150 ficaram feridas.

O porta-voz disse que as bombas atingiram tropas da Guarda do Povo, formada por voluntários que apoiam o Exército líbio. Mas agregou que a maioria das vítimas são civis que estavam nos arredores. A informação não pôde ser verificada de forma independente. North relata que, após os bombardeios, parte da população de Trípoli saiu às ruas em manifestação de apoio a Khadafi.

O bombardeio ocorreu poucas horas depois de o governo francês ter afirmado que mandará, em parceria com a Grã-Bretanha, helicópteros militares para ampararem a ação da Otan na Líbia. Os helicópteros permitiriam que as tropas de Kadafi fossem alvejadas com mais precisão. A Grã-Bretanha não confirmou a informação. O jornal francês Le Figaro publicou a informação de que 12 helicópteros teriam sido enviados à Líbia em um cargueiro francês em 17 de maio.

No front diplomático, o secretário-assistente de Estado dos Estados Unidos, Jeffrey Feltman, se encontrou nesta segunda-feira com representantes do Conselho Nacional de Transição, grupo formado pela oposição líbia e que agora controla o leste do país. O encontro ocorreu em Benghazi, reduto dos rebeldes, que buscam reconhecimento internacional na tentativa de pressionar o regime de Kadafi.




Emissoras disputam Datena para explorar o sangue alheio

Datena tem provavelmente 15 milhões a pagar, de processos junto a Record e Rede TV, se vier a perder, e parece que se encaminha para isso.

A Record ofereceu a retirada do seu próprio processo(sic). Chantagem.

A band cobriu a oferta e comproete-se também em pagar parte desta dívida com outras emissoras.

O triste e que tudo gira em torno de sngue dos brasileiros que passam por trgédias. Parece que o povo adora sofrimento e dá audiência mais para este tipo de desgraça.

E Datena espreme mais, para ver se sai mais sangue ainda.

Que o Datena seja mais para o esporte, co programações mais sadias, e menos para a violência, para a manchete que se faz em cima da desgraça alheia.

 A TV brasileira precisa de programações mais naturais e alegres, longe da violência diária

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Quem gosta de ingnorãça é intelequituau burgueis - Portal Vermelho

Quem gosta de ingnorãça é intelequituau burgueis - Portal Vermelho

Fé em vida após a morte pode ajudar a superar tragédias?



Trago uma pesquisa que saiu no IG sobre a questão da fé na superação da dor da perda, feita por uma psicóloga.

Para ela quem tem fé em vida pós morte consegue superar melhor a perda do ente perdido, do que quem não tem fé.

Muitos questionamentos pode-se levantar a este estudo, o que é muito bom, como por exemplo, qual o conceito de fé que ela utilizou, ou que vida pós morte foi pensada por ela, ao utilizar este conceito.

Eu posso ter uma fé baseada na visão de que se um fato tem ocorrido de determinada forma, deverá continuar a acontecer desta maneira; ou ter uma fé subjetiva num Ser Superior que me garanta uma vida eterna junto a Ele; ou ainda acreditar que de certa forma continuarei, quando meu corpo se desintegrar, e for absorvido por alguma raíz, e estarei numa árvore, e servirei de alimento a outros.

O leque de conceitos de fé e de vida pós morte é enorme, e parece que esta psicóloga colocou tudo em duas cestas: uma para a fé, e outra para a concepção de vida pós morte. Parece-me simplista, pois daí derivam muitas concepções escatológicas diferentes.

Se ela quis com o seu estudo provar que os ateus sofrem mais a separação que os espirituais, penso que não seria necessário ter feito a pesquisa, pois isto é percebido no próprio senso comum.

As pessoas naturalmente identificam quem tem mais ou menos fé, e relacionam imediatamente com o sofrimento maior ou menor da pessoa.

O que considero uma infelicidade da autora, foi não perceber que a fé está muito mais ligada à vida do que a morte.

A fé está ligada aos aspectos da vida, no sentido de torná-la melhor, propiciando real felicidade, real entendimento de valores humanos.

Não sofrer tanto quanto um ateu uma perda, é apenas um pequeno aspecto da fé, que perde importância diante da grandeza da vida.

O racionalismo contemporâneo não propicia a discussão de valores éticos e morais, caso desta pesquisa, relegando a beleza, a felicidade, o amor, a solidariedade humana, a esperança, para segundo plano.

Ao contrário, carrega um certo pessimismo, e se circunscreve nos valores básicos do alimentar o homem, o vestir o homem, o habitar o homem, o ver o homem morrer.

A fé não, ela parte de uma reflexão e de um consentimento pessoal do indivíduo, que consegue relacionar os fatos de sua vida com a presença de um Deus que o acompanha.

Não é algo que o homem consiga explicar claramente, mas pertence à dimensão humana desde o princípio, em suas interrogações sobre o significado da vida, o porquê vive, porque o sofrimento e a dor. A razão por si só não satisfaz esta curiosidade interior.

Quando o homem busca, a fé se desenvolve ou se definha, conforme a disposição ou não de quem procura. Está no terreno das opções: posso ser um materialista ou posso ser um espiritual. O que não posso é usar de um falsa fé para ausentar-me da vida. Porque existe muita fé falsa por aí, travestida de grande fortaleza e de exemplo para muitos, quando na verdade, paradoxalmente, a fé é um alegre reconhecimento de fragilidade do homem diante do Criador.

A fé é uma descoberta que o homem faz de um Deus que o procura em seu interior.

Descoberta que faz o homem se dispor a continuar, através de um diálogo íntimo com este Deus.

Diálogo que às vezes pode ser um monólogo para um Deus surdo, ou monólogo de Deus para um homem surdo. Ou de ausência de diálogo, e às vezes até de despedida.

Diálogo no silêncio, em linguagens verbais e não verbais, diálogo de escuta, de sinais, diálogo de ausência e presença do homem que se afasta e se aproxima.

Por isto Deus não pode ser considerado Deus, para amainar minha dor pela morte de alguém querido, mas para assoprar vida aonde ela não existe.

É o contrário da pesquisa.

Por outro lado vejo um grande mérito nesta pesquisa, ao projetar toda uma discussão sobre este tema.

Vejam o artigo da psicóloga Denise Gimenz Ramos


Acreditar na possibilidade de rever entes queridos após a morte auxilia a reagir melhor a perdas e tragédias ao longo da vida

Danielle Nordi, iG São Paulo .21/05/2011 07:46

As pessoas que têm profunda religiosidade se dão melhor em situações críticas. A afirmação é da psicóloga clínica e professora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Denise Gimenez Ramos. Esperança e otimismo estão ligados diretamente a acreditar num reencontro pós-morte ou mesmo em uma recompensa em outro plano. Os que creem em algo dirigem suas vidas com mais tranqüilidade e bem-estar, de acordo com a psicóloga.

Segundo Denise, quando o ser humano vivencia uma experiência mais grave, precisa buscar algum significado. E quem consegue encontrá-lo vive melhor. “A religiosidade dá muito apoio em situações difíceis, mas não está presente em nossas vidas para nos tornar seres passivos, que não lutam para mudar os cenários desfavoráveis”, ensina.


É preciso esclarecer que o fato de acreditar que a separação entre quem morreu e os que vivem é momentânea não deve impedir a pessoa de viver o luto. A psicóloga clínica Daniela Mafra de Oliveira explica que essa vivência consiste, entre outras coisas, em chorar e ter momentos de revolta, desespero e questionamentos. “Ser religioso ou ter uma crença não vai fazer o sofrimento sumir. O que acontece é que a dor poderá ser abreviada e a pessoa se sentir confortada diante das explicações que encontra nos ensinamentos da sua religião.”

Daniela explica que esse período de luto é extremamente necessário. Sofrer faz parte de um processo de cura. “Quem se permite sentir a dor da perda ou da fatalidade tende a conseguir retomar sua vida. Aqueles que se recusam a fazê-lo, ou se enchem de atividades para não ter tempo de pensar no que aconteceu, podem ter que lidar com isso, de maneira mais intensa, no futuro. É o famoso ‘cair a ficha’.”

Existem pessoas que atribuem tudo que acontece a um ser supremo. Essa postura demonstra uma falta de discernimento. Daniela insiste na necessidade de fazer todos entenderem que todos precisam agir e ter iniciativa diante dos acontecimentos. “A pessoa que dá a Deus ou a outro ser supremo a função de realizar tarefas que deveriam ser suas, colocam-se numa posição de extrema acomodação diante da vida.”





Vitória dos conservadores na Espanha serve de alerta para o Governo Dilma

Esta história de se utilizar o nome de um partido de penetração popular, usando o nome do socialismo, não garante automaticamente a vitória.

Quando não se  a implentam ações que caminhem no rumo de mudanças efetivas que garantam melhorias de vida da população, aos olhos do povo este partido acaba parecendo igual aos outros, ou até pior.

Alertamos, neste blog sobre os grandes riscos de se colocar Palocci no Governo.

Na ocasião dizíamos que se tratava de uma bomba relógio, para explodir na hora que a oposição achasse melhor.

Era dar a cara para se bater.

São fatos como este que põe a perder todas as demais conquistas, como se não tivessem ocorrido.

As eleições municipais que se avizinham, são o pano de fundo de toda esta bateria de críticas que o Governo está recebendo.

E Palocci era o alvo preparado antecipadamente.

Enriquecimento no  Governo ou fora dele, seja da onde for, deve ser investigado e descobrindo-se roubo ou corrupção, deve ser condenável, moral, política e juridicamente.

Neste caso específico, caso o Governo faça vista grossa, a questão irá resvalar em Dilma, pois, afinal Palloci faz parte de sua cota.

Que se puna sem meios termos, onde houver ilícito, mostrando lisura e transparência.

Assim neutraliza-se a oposição que tem a mídia nas mãos e está sequiosa por fazer manchetes e denegrir, como acaba de fazer a Folha, que desencadeou a denúncia.

Lula, quando acuado, ia para o povo buscar apoio.

Dilma não tem o mesmo perfil, o que pode ser fatal, afinal o povo é a voz de Deus.

É exatamente por apoiar o Governo Dilma, pois este vai na direção dos interesses do povo mais necessitado depois de séculos de dominação das elites, que fazemos estas críticas.

Desejamos que o Governo Dilma avance.

É preciso impedir os banqueiros em seu intento de paralisar o crescimento do Brasil, sob a batuta de que existe inflação.

Desenvolvimento e emprego é o que desejamos para já!

domingo, 22 de maio de 2011

Afinal, o mundo não acabou no dia 21/05/2011

Talvez, agora os fiéis evangélicos do Family Radio revejam sua fé nos falsos ídolos que falam em nome de Jesus, mas roubam as ovelhas do seu redil, onde elas tem o verdadeiro pastor, Jesus Cristo.

São Paulo  em 2Tm 4,3-4, diz  "Pois virá tempo em que alguns não suportarão a são doutrina; pelo contrário, como que sentindo comichão nos ouvidos, se rodearão de mestres. Desviarão os ouvidos da verdade, orientando-os para as fábulas". 

Estes tempos que São Paulo se refere são estes de agora. E ele acrescenta que sejamos sóbrios, isto é não caiamos nestas conversas de lobos em pele de ovelhas.

Quando o mundo irá acabar?

A primeira situação mais real disto será quando morrermos.

Aí, o mundo se acabará para nós.

Este mundo, cheio de disputas, de oportunismos, perseguições, mas também belo e agradável. Se perguntarmos, ninguém desejará morrer por conta das dificuldades.

Esta é a maior certeza visível que temos, pois vemos as pessoas, parentes, amigos, estranhos e inimigos, todos indo pela porta do hades.

Um dia farei uma reflexão escatológica sobre a morte.

Não agora, para não relacionar tema tão importante a um grupo que se diz evangélico, mas faz o contrário do que está escrito nos evangelhos.


Cotas para negros nas universidades deve ser estendido para posições de chefia nas empresas?

Esta é uma boa pergunta, uma vez que a sociedade democrática brasileira ainda não aprendeu a dar oportunidades para os negros.

Negros em cargos gerenciais nas grandes empresas são insignificantes. Em cargos de chefias já devem aparecer, porém menos, e em cargos de chefias mais de piso tipo encarregados e líderes, deve aumentar um pouco,m mesmo assim, muito menor que o ocupado por brancos.

Deve-se lembrar que o Brasil já não é mais de maioria branco, segundo o IBGE, mas continua privilegiando os brancos. Ser branco é objetivo de toda coloração mesclada.

É a síndrome de Michael Jackson.

Pois precisamos ter uma síndrome de negritude.

A discriminação do Netinho não está também neste preconceito todo? Negão pagodeiro? Ainda mais em política?

sábado, 21 de maio de 2011

ANDRÉS SANCHEZ CHAMA GLOBO DE "GANGSTERS"



"Sou amigo do Ricardo Teixeira sim"
"Sou amigo da Globo mesmo, apesar deles serem gangsters".

Vale tudo para obter seus objetivos. Parece que a ética, o que é certo e o que é errado, deve ser deixado de lado.

Fazer acordos com pessoas e instituições que ele afirma serem gangsters, o torna igualmente um gangster, pois acaba fazendo parte do mesmo time, ou não?

Deixo esta opinião para os leitores do blog dizerem.

Em primeiro lugar o interesse de seu clube, depois os interesses dos clubes.

Os corintianos com quem converso são favoráveis ao Andrés, porque esperam dele um estádio, mas percebo a dificuldade deles em defendê-lo, mesmo porque até algum tempo atrás o Corinthians tinha posições mais éticas e menos bajulatórias.

Mas depois, que embarcou com a CBF para a África do Sul, a posição mudou do vinho para o vinagre.

Os Salafitas, que perseguem os cristãos coptas do Egito, consideram o Hamas da faixa de Gaza conservadores


Dentre as várias correntes islâmicas há vários grupos de origem sunita, chamados de Salafitas.

Mataram em abril um pacifista italiano, Vittorio Arrigoni, que vivia na Faixa de Gaza há alguns anos, e apoiava o fim do isolamento econômico e político dos palestinos.

Exigiam que o Hamas soltassem um de seus líderes em troca da vida de Vittorio.

Deram um prazo para o Hamas responder, mas estrangularam o pacifista antes do período expirar.

Foram recebidos pelo Hamas inicialmente, quando o Hamas tomou da Fatah a faixa de Gaza, mas logo se insurgiram contra, por considerarem o Hamas muito pacifista com Israel.

Possuem três tendências religosas, todas com características militares, e aliados da Al Qaeda, de Bin Laden.

Atuam com política de grupos armados, do tipo terrorista, sem ação de massas, embora possuam muitos adeptos pelos países árabes na região.

São acusados pelo atentado em Casa Blanca no início da década em 2003, queimam Igrejas Coptas no Egito, e estão provavelmente por trás dos atentados no Iraque, que está agora sob controle Xiita, como o Irã, por conta da invasão norteamericana.


Veja matéria que recolhi sobre este segmento religioso, de Wálter Maierovitch



Em 14 de abril, ocorreu na Faixa de Gaza o sequestro seguido de morte do pacifista, jornalista e operador humanitário Vittorio Arrigoni, de 36 anos. Ele fixou residência em Gaza no fim de 2008, após ser contratado pelo jornal italiano Il Manifesto para produzir matérias sobre a vida no enclave que está sob governo do Hamas desde 2004. Paralelamente, Arrigoni prestava colaboração à ONG International Solidarity Movement (IMS), cuja meta é acabar com o bloqueio imposto por Israel a Gaza.

Poucos dias depois da sua chegada em Gaza, o pacifista Arrigoni assistiu, em 27 de dezembro de 2008, ao início da operação Chumbo Quente, caracterizada pela desproporcional e excessiva reação de Israel em face de ataques com foguetes de fabricação caseira lançados por palestinos. Ao final dos seus textos, o autor deixava uma mensagem: “Devemos continuar humanos”.

Essa sua frase virou título do livro, publicado em 2010, que reuniu suas reportagens e testemunhos. A mensagem, no entanto, acabou sendo desconsiderada pelos seus algozes, membros de uma célula de inspiração salafita. Para Ismail Haniyeh, líder do Hamas e governador do enclave, trata-se apenas de “um bando de degenerados foras da lei”.

Arrigoni, sequestrado para ser usado como moeda de troca, restou estrangulado com fio metálico. Antes do término do prazo de 30 horas dado ao Hamas para soltar o xeque Abu Walid al-Maqdisi, estrategista alqaedista preso em março. O ultimato foi dado em vídeo divulgado pelo YouTube.

Seus carrascos o consideravam um “inimigo por portar vícios ocidentais”. Em verdade, procuravam o Hamas, porque consideravam Arrigoni alguém da linha auxiliar. Toda manhã ele servia de escudo humano aos pescadores que furavam o bloqueio ao ultrapassar a linha permitida à navegação.

Um grupo de salafitas terroristas, intitulado Brigada Mohammed Bin Moslama, assumiu a autoria do assassinato. Para especialistas, o radicalismo salafita nasce por volta de 1970 e é sentido na Argélia com a atuação, nos anos 90, do grupo Salafita para a Predicação e o Combate.

A morte de Arrigoni serviu para mostrar um cenário oculto da Faixa de Gaza. Ao contrário do imaginado e propalado, o Hamas não reina soberano em Gaza. Desde a expulsão das forças do Fatah e a tomada do território, as lideranças do Hamas permitiram, a título de expansão do islamismo, o ingresso de células salafitas. Não levou muito tempo para os salafitas se tornarem oposição ao Hamas. Para os salafitas, o Hamas não é mais um movimento religioso e ideológico. O grupo é apenas um punhado de nacionalistas sem capacidade de implantar a sharia e impor valores fundamentais. Por exemplo, não são lapidadas as adúlteras ou fechados os salões de beleza para as mulheres.

O primeiro conflito sangrento entre salafitas e o Hamas ocorreu em 2009, na mesquita de Rafah. O embate resultou em 25 mortes. As células salafitas de Gaza pregam a violência e algumas se uniram para obter recursos financeiros junto à criminalidade organizada. Tudo se mostra válido para a implantação da ummah, ou melhor, uma única comunidade muçulmana.


Para se ter ideia, a Jund Ansar Allah (Soldados de Alá) fatura com o contrabando e a venda de víveres que ingressam por túneis clandestinos no sul de Gaza. O líder desse grupo salafita, Abdul Latif Moussa, foi morto pelo Hamas em agosto de 2009, mas isso não abalou sua estrutura e vínculos com a criminalidade.

Por perseguir o mesmo objetivo de constituição de um califado, a maioria das células salafitas da Faixa de Gaza está ligada à rede dos alqaedistas de Bin Laden. No fundo, os grupos salafitas passaram a concorrer com o Hamas nos planos religioso e político. E os salafitas irritaram-se quando o Hamas se acomodou ante um cessar-fogo com Israel. Os três grupos salafitas principais são conhecidos em Gaza por: 1. Jund Ansar Allah (os soldados de Alá), 2. Jaish al-Islam (o Exército do Islã) e 3. Jaish al-Umma (Exército da Nação).

As inúmeras microcélulas salafitas espalhadas por Gaza baseiam-se na escola islâmica Salafiya, de ramo islâmico sunita, estribada num modelo de virtude religiosa para todos. O termo salafita provém do árabe salaf al salihin, que quer dizer “os mais antigos”, numa referência aos séculos VII e VIII.

Nenhuma das três principais células salafitas de Gaza assumiu responsabilidade pela morte de Arrigoni. Para o Hamas, os responsáveis fazem parte de uma “célula desgovernada adepta de um jogo que só interessa aos sionistas” (Israel). Além da crise econômica que se agrava, o Hamas sente o perigo salafita, cujos grupos doutrinaram centenas de jovens e abriram diversas mesquitas. Esses jovens salafitas sonham com a aplicação enérgica da sharia, com o nascimento de um califado e, a curto prazo, com o fim do governo do Hamas, dado como moralmente fraco.

O radicalismo islâmico dos Salafitas parece andar junto aos interesses israelenses.

Aparentemente opostos, praticam atos parecidos.

Nós conhecemos também esta história por aqui.

Os falso radicalismo,que serve aos poderosos, mais do que se opõe.

Brasil pode perder hegemonia em etanol da cana - Portal Vermelho

Brasil pode perder hegemonia em etanol da cana - Portal Vermelho

Mais de 600 meninas estupradas, só no Rio em 2009

Nós defendemos o direito das mulheres no islamismo, e somos surpreendidos com esta matéria que dá conta de pelo menos 600 meninas, de até 12 anos, estupradas no Rio de Janeiro, isto em 2009.

Chocante, sob o ponto de vista dos direitos da mulher, tão evocados pela imprensa e setores organizados da sociedade, mas ainda repleto de injustiças e abusos.

Quando a mulher alcançará verdadeira dignidade moral e econômica, deixando de servir de vitrine sexual.

Esta semana uma multinacional alemã a Munich RE premiou vários executivos, por atingimento de metas em vendas, contratando 20 prostitutas para a festa. Uma Seguradora, que deixa mulheres inseguras.

O mundo Ocidental, pós cristão, esqueceu-se de seus valores e está voltando à barbárie (deixei matéria sobre esta animalização ao final do artigo).

Tobias, com medo de morrer na noite de núpcias, pois os sete maridos de Sara assim haviam morrido pela ação do demônio nesta ocasião, ouve a voz do amigo e anjo Rafael: "Ouve-me e eu te mostrarei sobre quem o demônio tem poder: são os que se casam, banindo Deus de seu coração e de seu pensamento, e se entregam à sua paixão como o cavalo e o burro, que não tem entendimento: sobre estes o demônio tem poder" Tb 6,16-17, Bíblia Ave-Maria.

Veja matéria que extraí do IG

Durante o dia nacional de combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, esta semana, a ministra da Secretaria Especial de Direitos Humanos, Maria do Rosário, anunciou que o governo vai estimular a notificação compulsória em casos de violência praticada contra crianças e adolescentes. O registro dos casos é a única forma de ter uma dimensão mais precisa acerca do problema. Olhando os dados disponíveis hoje, a impressão é de que estamos diante da ponta do iceberg.


Em abril deste ano, o Instituto de Segurança Pública (ISP) lançou o “Dossiê Mulher”, um relatório com dados sobre violência praticada contra a mulher no Estado do Rio de Janeiro. A origem da informação são as ocorrências registradas nas delegacias policiais fluminenses. Você imagine a quantidade não registrada

Para além da situação grave de violência praticada contra as mulheres, um aspecto chama a atenção no relatório: no que se refere especificamente aos estupros praticados contras as mulheres, 22,4% das vítimas tinham até 11 anos e 36%, entre 12 e 17 anos. Ou seja, mais da metade das vítimas de estupro no Rio de Janeiro é criança ou adolescente.

Ainda, de acordo com a pesquisa, em quase 50% dos casos de atentado violento ao pudor e estupro as vítimas conheciam os acusados. Estamos falando de pais, padrastos, companheiros, ex-maridos, parentes ou outra categoria de conhecido.

Os dados mostram um quadro que combina de forma dramática e covarde os aspectos mais vulneráveis da condição feminina e da infância, resultado de uma cultura machista e de relações familiares pautadas pela violência. Esses são crimes que impõem todo tipo de obstáculos culturais ao seu reconhecimento, denúncia e mesmo para a atuação da Justiça.

Nunca é demais lembrar que 18 de maio foi escolhido justamente para marcar o dia nacional de combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes porque nessa mesma data, em 1973, em Vitória, no Espírito Santo, uma menina de 8 anos foi sequestrada, drogada, estuprada e carbonizada por um grupo de jovens. O crime segue até hoje impune e ficou conhecido como “caso Araceli”, uma referência ao nome da vítima.

Muitas vezes estatísticas nos fazem perder a dimensão humana dos acontecimentos. Mas coloquemos de outra forma: mais de 600 meninas, com menos de 12 anos, foram estupradas em 2009 só no Rio de Janeiro. Infelizmente, não temos dados de outros Estados, mas a situação pode ser semelhante ou ainda mais grave. Para um governo que vem tratando a igualdade de gênero com tamanha centralidade, não pode haver pauta mais prioritária.

Matéria da Munich Re


A alemã Munich Re, um das maiores seguradoras do mundo, admitiu que os funcionários de uma de suas divisões contrataram 20 prostitutas em uma festa realizada em 2007 em Budapeste, na Hungria, como recompensa para cerca de 100 executivos de vendas, segundo noticiou o site CNBC.


Uma porta-voz da Munich Re confirmou a informação. “De fato houve uma festa de incentivo em Budapeste em junho de 2007. Nossas investigações sobre o assunto revelaram que 20 prostitutas estavam presentes durante a noite do evento”, disse a porta-voz da empresa.

“Estamos checando outros eventos realizados pela divisão, mas, atualmente, acreditamos que esse tipo evento aconteceu apenas uma vez”, acrescentou. Os executivos que participaram da festa deixaram a Munich Re antes que o “incidente” fosse descoberto. A festa foi feita para executivos que venderam produtos de seguro para o Ergo Insurance Group, uma das divisões da companhia.

O interessante é que segundo a seguradora Munich Re estes executivos já foram embora da empresa. Como são santos!!! Não sobrou nenhum Diretor presidente da época? E o silêncio que fizeram desde 2007, foi esquecimento ou ocultação de provas?


Fachada da Munich Re em Munique, na Alemanha, com estátua "Walking Man"



 





RITA PAVONE DATEMI UN MARTELLO 64



Lembrando um pouco de minha juventude, onde tudo era quente, com bastante criatividade, e cheio de vida. Havia uma mistura de Chico Buarque, Geraldo Vandré e Rita Pavone. Para todos os gostos. Havia uma grande disputa ideológica no setor cultural, que continua até hoje, sob novas formas. Em plena martelada do Golpe 1964, Datemi un Martello expressa em parte a busca de emancipação feminina, seja pela forma corporal e vocal de Rita Pavone, seja pela letra que mostra o desejo de usar o poder, um martelo, para defender o seu sentimento. Nem percebíamos isto, na época. Havia sim, uma ambiguidade na juventude, entre vibrar com as canções mais políticas, ou deliciar-se com Rita Pavone, Roberto Carlos, Caetano, e outros, pensando que estava tudo bem. Não é novidade nenhuma saber quem permaneceu e quem acabou. A roda da História, entretanto, continua a girar, e certamente aí pela frente virão mais novidades

Orissa, Índia: estupro, morte e tráfico de cristãs

Não foi somente no início do cristianismo que houve perseguições e mortes, mas ainda hoje ocorrem em várias regiões do mundo. Leis anti-conversão, e tráfico de mulheres cristãs, estão ocorrendo com frequência. O caso mais forte foi o estupro da irmã Meena diante da polícia local que não fez nada para impedir.

Veja no Zenit

Orissa: continua perseguição a cristãos



Não há justiça para vítimas da violência anticristã de 2007 e 2008


NOVA DÉLI, sexta-feira, 20 de maio de 2011 (ZENIT.org) – Ela foi estuprada e brutalmente assassinada. Trata-se da jovem estudante de 17 anos Banita - ou Nirupama Pradhan -, cujo corpo foi encontrado há alguns dias por um agricultor perto do Lago Dhangadarna Hill, no tristemente conhecido distrito de Kandhamal, no estado indiano de Orissa, que tem sido há anos cenário de incidentes graves de violência anticristã por extremistas hindus.


Segundo as agências de notícias AsiaNews e Fides (16 de maio), o corpo em decomposição da estudante, que frequentava a última aula do instituto Plus II do Instituto Kalinga Mahavidyalaya, em Phulbhani, mostrava evidentes sinais de violência e tinha o rosto desfigurado. Segundo o pai da jovem, Sitrie Pradhan, estão procurando os assassinos no âmbito do nacionalismo hindu. O homem suspeita de um ativista em particular, Dinesh Naik.


Profundamente afetado pelo enésimo e muito grave episódio, o Global Council of Indian Christians (GCIC) lançou um apelo ao "chief minister" (primeiro-ministro) de Orissa, Naveen Patnaik, a ao partido regional Biju Janata Dal (BJD), pedindo-lhes para levarem a sério a situação da minoria cristã, que, de acordo com o relatório de 2011 da U.S. Commission on International Religious Freedom (USCIRF), representa 5% da população do estado (com um aumento de 25 para 27% no distrito de Kandhamal).


A igreja local não exclui que a jovem tenha sido vítima do tráfico humano, que tem aumentado de forma alarmante após a onda de violência anticristã no estado do nordeste da Índia. Desde setembro do ano passado, o arcebispo de Cuttack-Bhubaneswar, Dom Raphael Cheenath, expressou grande preocupação sobre o fenômeno das jovens sequestradas. "Há notícias alarmantes de tráfico de mulheres jovens em grande escala em Orissa. As vítimas são principalmente jovens cristãs", disse o prelado a Fides (22 de setembro de 2010). "A violência de 2008 contra os cristãos deu uma oportunidade a grupos criminosos de encontrar presas fáceis entre os refugiados e os pobres. Se o governo do estado não tomar as medidas adequadas, Orissa poderá tornar-se um reino de traficantes de seres humanos."


O clima de impunidade que envolve a violência contra os cristãos em Orissa é esmagador. Conforme relatou nos últimos dias AsiaNews (12 de maio) decepciona sobretudo a justiça indiana. Só há uma condenação por homicídio, apesar dos 20 casos notificados. Enquanto as autoridades estaduais falam de 52 mortes em Kandhamal, durante a violência que ocorreu em 2007 e 2008 - dos quais 38 são cristãos -, segundo fontes cristãs, o número é muito maior, quase o dobro: 91 (exceto os casos de suicídio, também por síndromes pós-traumáticas).


Além disso, de acordo com AsiaNews, com base em dados coletados por diferentes organizações e agências, entre as quais está a All India Catholic Union (AICU), das 3.232 denúncias apresentadas, apenas cerca de um quarto (828) tornaram-se as chamadas "First Information Reports", ou seja, evidências verdadeiras. Destes casos, menos da metade (ou seja, 327) terminou na frente de um juiz, que, em 169 causas, pronunciou-se pela absolvição completa. Apenas em 86 casos, os letrados emitiram uma condenação, mas somente por imputações de menor gravidade.


Dado que cerca de 90 casos estão pendentes de revisão pelo tribunal, o balanço é, portanto, verdadeiramente escasso para a comunidade cristã e outras vítimas do extremismo, que esperam e exigem justiça. Já em janeiro passado, o ativista de direitos humanos Adikanda Singh - um dalit ou "intocável" - apontou o dedo às autoridades. "O sistema de justiça falhou e não conseguiu punir os responsáveis pelos crimes. Isso mostra que o Estado não é capaz de julgar da mesma forma os seus cidadãos", disse (AsiaNews, 25 de janeiro).


A letargia da justiça indiana levou, em 2009, a U.S. Commission on International Religious Freedom a incluir o gigante asiático na "watch list", a lista dos países a monitorar, da qual ainda faz parte. Segundo a comissão, nem sequer a criação dos chamados “Fast Track Courts" (tribunais especiais para o procedimento breve) e dos “Special Investigative Teams” (equipes especiais de investigação) conseguiu atender a emergência e combater o que no relatório de 2011 aparece descrito como “cultura da impunidade”. Também alimentam a violência e a intolerância - de acordo com a USCIRF - as infames leis anticonversão introduzidas por vários estados indianos, entre os quais está Orissa.


Um caso em questão - de "alto perfil", diz o relatório USCIRF - é o da Irmã Meena Barwa. A religiosa da Congregação das Servidoras, que trabalhou no Centro Pastoral Divyajyoti, em Knuagaon, no distrito de Kandhamal, foi espancada, despida e estuprada em 25 de agosto de 2008, diante da polícia, que se recusou a intervir, apesar das desesperadas petições de auxílio.


Agora, a Irmã Meena Barwa, que em outubro de 2008 declarou não querer “ser uma vítima também da polícia de Orissa” (AsiaNews, 25 de outubro de 2008) e solicitou uma investigação sobre o comportamento e a cumplicidade das forças de segurança, pode tornar-se vítima da justiça. Em 9 de maio passado, o juiz Chittaranjan Das, do Supremo Tribunal de Orissa, concedeu liberdade provisória para os instigadores da violência e do estupro da religiosa, Pandit Bishimajhi e Jatia Sahu.


A decisão foi recebida com incredulidade. "Estamos surpresos", disse Bipra Charan Nayak, da Kandhamal Survivors Association (UCA News, 12 de maio). "É uma mancha na dignidade das mulheres e na justiça", disse, por sua vez, a vice-presidente do departamento de mulheres na arquidiocese de Cuttack-Bhubaneswar, Shibani Singh.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Padres cantores ou Pena Branca e Xavantinho?



Não quero falar dos padres cantores, pastores, ou outros nesta linha.

Quero falar que Igreja é quando se transcende os seus representantes e se entra na boca do povo.

Padres muito bonitinhos e polidos, mas vazios de conteúdo em favor dos pobres, atendem apenas a vaidade pessoal ou religiosa das pessoas, em suas falsas espiritualidades.

Ficam cozinhando a vida numa Igreja de tijolos, em condição intimista desvinculada da realidade, e depois querem ser salvos.

Estive preso e foste me visitar.
Tive fome e me alimentaste.
Estava nú e me vestiste.

Meu Deus, quando foi que fiz isto?

Ao bater meia-noite, segundo o Family Radio o mundo irá acabar

Evangélicos da Family Radio afirmam que o mundo acabará dia 21/05/2011.

Não importa Jesus ter dito que nem Ele sabia sobre este dia , mas somente o Pai, o que importa é este grupo evangélico concluir por si próprio o que ele lê da Bíblia.


Que o mundo acabará um dia, sabemos, até por uma razão de conhecimento científico.

É importante, no entanto, que se entenda que este fim do mundo, profetizado por Jesus Cristo, não será o fim, mas um início de um novo tempo para os que crêem.

É, portanto, algo muito positivo, um Mundo Novo e uma Terra Nova.

Quem não lê direito a Bíblia, acaba tratando como desgraça o que será glorioso.

Ademais, todos teremos um fim.

O mais importante é sabermos se somos úteis aos mais necessitados enquanto estivermos por aqui, seja ajudando-os, seja lutando por eles.



Deputada Leci Brandão propõe metrô 24 horas aos finais de semana - Notícias de São Paulo - Portal Vermelho

Deputada Leci Brandão propõe metrô 24 horas aos finais de semana - Notícias de São Paulo - Portal Vermelho

Otan não vai parar enquanto não matar Kadafi

Estimulados pelo assassinato de Bin Laden, a Otan não pára de realizar "bombardeios humanitários" nos possíveis locais onde possa estar Kadafi.

Esperam que, matando Kadafi, enfraqueçam as forças governamentais, e aceitem um outro governo, indicado pela OTAN, e com a imagem de "revolucionários".

Há uma guerra em curso, que não terminará tão cedo, como prevíamos, assim como no Iraque continuam as explosões e mortes, e tambem no Afeganistão.

É um caminho de destruição que não termina.

Agora a Síria está começando a ser a bola da vez.

Os EUA congelaram os bens do presidente sirio, e tudo parece seguir o figurino que ocorreu na Líbia.

Está havendo repressão e assassinatos na Síria? Sem dúvida.

A solução, porém, passa única e exclusivamente pelas mãos do próprio povo sírio, e não das forças norteamericanas ou da OTAN.

Cristianismo primitivo

Uma mulher cristã é martirizada sob Nero numa recriação do mito de Dirce (pintado por Henryk Siemiradzki, 1897

No ano de 107, aproximadamente, o Imperador Trajano preparou grandioso espetáculo em Roma colocando gladiadores, homens ilustres, cristãos, e entre eles Inácio de Antioquia, Santo Inácio, Bispo de antioquia, a morrer devorado pelas feras. Na festa foram utilizados aproximadamente 11.000 animais selvagens 

Segundo palavras do próprio Inácio de Antioquia " oxalá seja moído pelos dentes dos animais, para tornar-me o pão puro de Cristo"

Inácio, ancião, preso por causa da fé, foi julgado tão importante, que as autoridades o transportaram de antioquia até Roma, para ser exibido ao povo e martirizado. Escreveu sete epistolas, que se assemelham às Epístolas do Novo Testamento.

Deixando a verdade tomar conta de nosso coração



De vez em quando é bom lembrar os momentos em que estivemos mais próximos da verdade, longe das estruturas escravizantes.

Mulheres sauditas lançam movimento pelo direito de dirigir automóvel

Depois, quem sabe elas consigam o direito de VOTAR, o direito de SER CANDIDATA, o direito de estudar ou viajar, SEM A PERMISSÃO MASCULINA.

No futuro, talvez possam exigir que os homens usem a burca ou cubram os seus rostos com um véu.

Estas são algumas das consequências de um Estado Teocrático opressor, que trata as mulheres como verdadeiras escravas dos homens, submissas em tudo.

Os ventos da revolução dos "jovens" , bastante reprimidos por todo o Oriente Médio, misturando os conflitos internos entre sunitas e xiitas, mais Estados Autoritários, vai desvelando o grau do patriarcalismo do islamismo no mundo.

É importante ressaltar que muito deste domínio do homem sobre a mulher no islão passa por um consentimento de cunho religioso da parte da maioria das mulheres.

Deplorável.

Lembramos que a Arábia Saudita é de maioria sunita.

Uma pequena conquista pelo direito de dirigir um automóvel, reivindicação de característica tolerável, bem pode desembocar em outras mais significantes.

Mais uma vez, este movimento teve início na Internet, no Facebook, mostrando que os novos meios de comunicação e as redes que se formam estão secundarizando as formações partidárias tradicionais, e trazendo uma informalidade ao movimento social, principalmente para a participação das classes médias.

Interessante notar que o cristianismo apresentou desde o início uma característica  libertária para as mulheres, o que muito contribuiu para sistemas igualitários de gênero, que se apresentam mais fortes no mundo ocidental.

O judaísmo era igualmente patriarcal na época de Jesus, e ainda hoje guarda algumas destas características, embora em menor escala que o islamismo.

Há uma passagem significativa à este respeito no Evangelho, em Mc10,2-10, que diz o seguinte:

Alguns fariseus aproximaram-se d'Ele e para pô-lo à prova, perguntaram-lhe: `"É lícito ao marido repudiar a mulher?" . Ele respondeu: "Que vos ordenou Moisés?". Eles disseram: "Moisés permitiu escrever cartas de divórcio e repudiar". Jesus então lhes disse: "Por causa da dureza dos vossos corações ele escreveu para vós este mandamento. Mas desde o princípio da criação ele os fez homem e mulher. Por isso o homem deixará o seu pai e sua mãe, e os dois serão uma só carne. De modo que já não são dois, mas uma só carne. 

Eram iguais, portanto, desde o príncípio, uma só carne.

É preciso lutar por Estados Democráticos de cunho Laico por todo o mundo, onde se vejam respeitados os direitos das mulheres, e de outras minorias, as liberdades de expressão de maneira geral, inclusive a de liberdade de expressão religiosa.

As teocrácias que estão passando por estes movimentos sociais não deram demonstrações de alterar estes direitos, que continuam reprimidos.

Vamos aguardar para conferir.

Abaixo matéria obtida na Folha.

Mulheres lançam protesto para dirigir na Arábia Saudita



Manal, 32, está planejando algo inédito em sua vida: tornar-se uma fora da lei em sua terra natal, a Arábia Saudita. Ela vai dirigir um carro pelas ruas de Riad, a capital, desafiando a lei que proíbe mulheres de guiar automóveis no país.

Junto a outras 10 pessoas, Manal criou uma campanha no Facebook e Twitter convidando as mulheres sauditas a fazerem o mesmo em junho. A única exigência para aderir à causa é possuir uma carteira internacional de habilitação.

A página no Facebook ganhou o nome de "I will drive starting June 17" ("Eu vou começar a dirigir a partir de 17 de junho") e já possui mais de 6.000 membros.

"Estou fazendo isso porque estou frustrada e brava", disse. A jovem pediu para ter apenas seu primeiro nome revelado "É 2011 e ainda estamos discutindo este direito insignificante às mulheres."

Najla al Hariri, uma dona de casa de 30 anos, dirigiu por quatro dias na ruas de Jidda até ser abordada pela polícia. "Eu não tenho medo de ser presa porque estou dando um exemplo para orgulhar minha filha", disse.


A iniciativa também tem inspiração na Primavera Árabe. A monarquia que governa a Arábia Saudita --onde estão as maiores reservas de petróleo do mundo-- tem reprimido com mão de ferro protestos por reformas.

Segundo a ONG Human Rights Watch, pelo menos 120 ativistas foram presos.

As leis da Arábia Saudita proíbem mulheres de dirigir, viajar ou estudar sem aval masculino. Elas não votam, nem podem ser candidatas.



quinta-feira, 19 de maio de 2011

Pesquisa expõe disputa acirrada e Netinho já aparece em primeiro - Notícias de São Paulo - Portal Vermelho

Pesquisa expõe disputa acirrada e Netinho já aparece em primeiro - Notícias de São Paulo - Portal Vermelho

L'Entrecôte de Paris, um restaurante de cardápio único


Muito interessante a minha ida a um restaurante esta semana.

 Almocei no L'Entrecôte de Paris, e surpreendi-me com um cardápio aparentemente simples, mas muito apetitoso.

Tudo o que eu queria sem exageros.

Um prato único de entrecôte com molho secreto, mais fritas. Lógico, a entrada é uma salada super leve e a sobremesa excelente. O preço gira em torno de  R$38,00 o prato.

A novidade é que é um prato único, muito aceito pelos frequentadores. A casa é cheia sempre. Tel de lá é 3078-6942

Vale a pena conferir.  Na Pedroso Alvarenga 1135, Itaim Bibi, próximo da Faria Lima e 9 de Julho.

Deixo abaixo um material que recolhi deles

França tem duas famosas fórmulas secretas. Uma é a poção mágica do druída
Panoramix que dava força sobre-humana aos irredutíveis gauleses Asterix e Obelix. A outra é a receita do molho que guarnece o famoso entrecôte dos célebres restaurantes conhecidos por todos os parisienses. Um sabor tão marcante e inesquecível, que seus criadores decidiram que este seria o único prato de seus restaurantes. No que estavam cobertos de razão: com um prato tão bom assim no cardápio, quem precisa de outros?
Por mais de 50 anos, o suculento entrecôte fatiado, servido com fritas e recoberto com o molho secreto, tem feito a fama destes restaurantes de um prato só, sempre lotados e com filas na portas, no almoço e no jantar, 7 dias por semana. Uma experiência inesquecível e obrigatória para os amantes da boa comida que agora podemos degustar aqui no L'Entrecôte de Paris




Existe vida após a morte?


Comparar a vida a um computador que estraga quando envelhece, é reduzir o mistério da vida, que experimentamos, com a de um computador, que é um equipamento inanimado, e ainda por cima, resultado da criação humana.

Considerar a vida uma questão de sorte, ou podemos chamar de ocaso, é dizer que a vida veio do acaso. O acaso cria a inteligência. Então a inteligência surge do vazio, da falta de inteligência, pois assim se configura uma característica de sorte.

Referir-se à vida após a morte como um "conto de fadas", revela o grau de conhecimento filosófico e transcendental que o cientista tem.


São considerações primitivas, que depõem contra ao seu grande conhecimento científico.

É como se ele tivesse estacionado sua espiritualidade aos 12 anos de idade, e somente agora viesse a público recitá-la. 

Tudo, menos contos de fadas, porque acaba desdenhando um questionamento que o ser humano se faz desde o princípio, sobre a vida, a sua razão de ser, porque está no planeta, questionando sua existência e a da divindade celeste - existência ou não de Deus.

Parece não conhecer a História da Humanidade, em que os mitos e as espiritualidades acompanham o ser humano na explicação dos fenômenos, juntamente com o progresso das ciências.

Deixo, entretanto ao leitor, a opinião final.

Veja matéria que recolhi 

Paraíso é um conto de fadas, diz Hawking

Por Paula Rothman, de INFO Online • Quarta-feira, 18 de maio de 2011 - 12h04 39 Reprodução



O astrofísico Stephen Hawking: "é tudo uma questão de sorte

O famoso astrofísico, considerado um dos mais brilhantes cientistas modernos, disse em entrevista que não existe céu (paraíso) ou vida após a morte – “isso é apenas um conto de fadas para pessoas com medo do escuro”, declarou.

Ao jornal inglês The Guardian, Stephen Hawking, que já declarou abertamente sua convicção de que Deus não criou o universo, falou sobre o medo da morte e comparou a nossa existência à de um computador.

Aos 69 anos, Hawking passou a maior parte da vida na eminência da morte.

Aos 20 anos foi diagnosticado com uma neurose motora que o privou de mover grande parte dos músculos de seu corpo e o obrigou a utilizar uma cadeira de rodas e um aparelho para a fala.

Ainda assim, ele continuou extremamente ativo no campo das pesquisas em astrofísica e publicou, entre outras coisas, best-sellers como “O Universo em Uma casca de Noz”.

Na entrevista, ele declarou que, por viver com a doença há 49 anos, a ideia de morrer não o assusta.

Ele afirma que vê o cérebro como um computador que um dia irá parar de funcionar quando seus componentes falharem.

“Não existe céu (paraíso) ou vida após a morte para computadores quebrados.

Isso é um conto de fadas para pessoas com medo do escuro”.

Ao ser perguntado sobre suas declarações prévias de que não existe razão para evocar Deus para explicar a criação do Universo, Hawking reiterou sua opinião de que tudo se resume à sorte. O astrofísico declarou que a ciência prevê que muitos universos podem ser criados espontaneamente do nada, e que é questão de sorte em qual deles estamos.




Tsunami provoca demissão de 400 funcionários em fábrica da Honda em Sumaré

Com o sindicato de metalúrgicos nas mãos da Intersindical, onde todos são inimigos, menos eles, os governos locais e o governo federal não foram chamados para fazer pressão e impedir a demissão de 400 funcionários.

Dizem que estão fazendo paralizações contra a demissão, sendo que é exatamente isto que a  Honda deseja, já que ela não tem peças par compor os veículos.

Dizer que são combativos deve ser acompanhado de inteligência e astúcia política para congregar forças. Mas quem vem há tempos despresando a participação em governos, de repente fica só, e prejudica os trabalhadores.

Não foi o que aconteceu em São José dos Campos onde a Conlutas dirige o Sindicato de lá e a Embraer deitou e rolou demitindo todos que queria.

Volto a dizer: trovejar e não resolver é a mesma coisa que nada.

Veja a matéria da Folha sobre o tsunami em Sumaré 


Honda anuncia demissão de 400 funcionários em fábrica de SP


A Honda anunciou hoje a demissão de 400 funcionários de sua montadora instalada em Sumaré (118 km de São Paulo).

O corte representa 12% de todo o efetivo da unidade, que reduzirá sua produção pela metade --de 600 para 300 carros por dia-- a partir de junho.

Na semana passada, a empresa já havia informado que seria forçada a reduzir a produção em razão da falta de peças. Conforme a companhia,os desastres naturais ocorridos no Japão, em março, dificultam o fornecimento de componentes eletrônicos, por exemplo.


Com a redução das atividades, a fábrica funcionará em apenas dois turnos. Atualmente, são três, que empregavam, até hoje, 3.400 trabalhadores.

A Honda informou, por meio de nota, que a decisão de demitir veio após o esgotamento de "todas as alternativas para viabilizar a fábrica".


Conforme a empresa, desde de 1992 não haviam cortes em razão de uma queda na produção no Brasil.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região, Jair dos Santos, informou que, até a tarde desta quarta, cerca de 280 trabalhadores já haviam recebido a notícia da demissão por telegrama.

O sindicato informou que os trabalhadores que seguem na unidade vão manter a paralisação das atividades, que já ocorre desde a última sexta-feira e é renovada a cada turno.

"Independente de quantidade, vamos continuar insistindo que os trabalhadores não podem perder seus empregos. Ainda há alternativas, mas a Honda está se aproveitando de um desastre natural para fazer reestruturação", afirmou.

Segundo Santos, o sindicato pretende recorrer ao Tribunal Regional do Trabalho para discutir a decisão.

A proposta do sindicato é reduzir a jornada de cada trabalhador de 8 horas para 5,5 horas, além de férias por 30 dias em grupos de 400 trabalhadores. Com as demissões, segundo Santos, até 3.000 pessoas podem ser afetadas, considerando toda a cadeia produtiva.

"Fornecedores da região já estão anunciando férias coletivas também", afirmou.

O lançamento de um modelo novo de carro previsto para este ano deve ser adiado para 2012. Por isso, para o sindicato, as alterações seriam suficientes para manter a fábrica até dezembro.




quarta-feira, 18 de maio de 2011

Cadê o Código Florestal ?

Tanto trabalho para o Governo engavetar o Código Florestal?

Mais de 100 reuniões por todas as regiões do país, algumas contando com mais de 10.000 participantes, para se chegar a uma proposta que contemplasse todos os setores do campo?

Ao chegar ao Congresso, o projeto foi sendo alterado, alterado, e por fim...engavetado.

Há um ditado, naquelas chamadas Leis de Murphy que diz o seguinte:

Sempre há escassez tempo para se realizar os planos definidos. Uma vez, porém que eles não são atingidos, existe todo o tempo do mundo para ele ser refeito.

É o caso do Código Florestal. O Governo viu que suas pretenções de alterá-lo poderiam ser derrotadas em plenário, e recuou.

Também não gostaram da evidência que ficou o Deputado Aldo Rebelo, que capitalizou o apoio de amplos setores no Congresso, exceção feita ao PV e PSOL, e parte do PT.

O próprio PMDB, que é da base de apoio ao Governo balançou na questão e saiu muito frustrado da refrega.

Agora vão colocar o Código Florestal em banho maria até ele ser bem desfigurado, e só então voltarão ao plenário.

Perde o campo brasileiro, o agricultor, aquele que sustenta a economia e teve esperança de uma anistia que ainda não veio.

Brasil dos ambientalistas estrangeiros
Brasil das cidades
Terra para poucos
Impostos para muitos.

Quando veremos teus filhos respeitados...